Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

Orçamento empresarial: dicas para você montar o do seu negócio

Planejar o orçamento empresarial da empresa é pensar no crescimento do negócio, para tanto, o plano deve ser capaz de captar ameaças, bem como oportunidades.

O orçamento empresarial é vital para qualquer negócio, em especial, aqueles tocados por empreendedores. Afinal de contas, é por meio do controle das finanças que a empresa cresce de modo saudável. A seguir, veja dicas para você montar o da sua firma.

Você sabe o que é um orçamento empresarial?

A definição de orçamento empresarial compreende o plano de finanças da empresa. Isso pressupõe a elaboração de um documento completo, que une os dados do presente, passado, assim como do futuro.

Orçamento empresarial: a imagem mostra um empresário analisando alguns gráficos;
O orçamento empresarial é um meio de monitorar a saúde das finanças de um negócio. Imagem de Drazen Zigic no FreePik

Organizar o orçamento do negócio indica detalhar todas as despesas e receitas que a empresa compreende. Além disso, deve conter a sua:

  • situação atual;
  • objetivos;
  • projeção de mercado futuro.

Um processo de orçamento envolve a ajuda de todas as áreas da empresa, que devem fornecer, por sua vez, informações sobre as suas expectativas de receitas e despesas.

Especialistas indicam que o orçamento ideal de um negócio tem vigência de um ano. Por exemplo, a avaliação (análise preditiva) do negócio em 2023 deve ter sido planejada em torno do último trimestre de 2022, que vale de janeiro último até dezembro deste ano.

Qual é a importância do orçamento empresarial?

O orçamento empresarial permite que a empresa monitore suas finanças. Além disso, permite identificar possíveis problemas, assim como a adoção de medidas para acionar correções antes que se tornem críticos.

Esse plano é crucial para o sucesso de uma firma, pois ajuda a precisar objetivos financeiros reais. Também auxilia, por sua vez, a monitorar o desempenho financeiro da empresa ao longo do tempo. 

Outro benefício é a previsão das receitas e despesas futuras. É um meio valioso para garantir que ela tenha recursos suficientes para alcançar seus objetivos, assim como manter as finanças com saúde.

Também ajuda a estimular a colaboração entre as diferentes áreas da empresa. Além disso, o orçamento permite à empresa:

  • avaliar o impacto das decisões financeiras;
  • estabelecer prioridades.

Um orçamento bem feito pode ser um fator decisivo para atrair investidores. Uma vez que demonstra a sua capacidade de planejar e gerenciar suas finanças de maneira eficaz. 

Como montar um orçamento empresarial?

Para montar um orçamento empresarial eficaz você pode seguir os passos abaixo que incluem indicar seus objetivos e metas. Eles são um compilado que servirá como guia para a construção do plano de finanças do seu negócio.

Depois de entender do que se trata um orçamento e qual a sua importância, saber o passo a passo para criar o seu é o caminho natural para a execução de um documento coerente e realista.

Faça uma análise do negócio

O primeiro passo de um bom orçamento empresarial consiste em analisar o negócio. Essa tarefa é ampla, mas pode partir de uma simples análise SWOT. Dessa forma, caminha para um estudo de, ao menos, os 3 últimos anos da empresa. 

Ao ampliar a visão, assim como o andamento do negócio, você terá uma maior clareza sobre despesas e custos. E isso, quando alinhado aos objetivos do negócio, permitirá a projeção do futuro financeiro em face às oportunidades.

Leve em conta a média de venda anual e o movimento sazonal das vendas. Um banco de dados, nesse momento, pode ajudar na captura dessas informações.

Orçamento empresarial: a imagem mostra uma pessoa analisando alguns gráficos.
A ferramenta ideal para gerir o orçamento empresarial se relaciona ao tamanho do negócio. Imagem de jannoon028 no FreePik.

Indique seus objetivos e metas

Após realizar o diagnóstico da empresa com atenção, o segundo passo do orçamento empresarial é definir os objetivos e metas do próximo ano. Isso significa esboçar um patamar de crescimento, que servirá de norte, bem como motivação para a equipe.

Para que não haja confusão, lembre que os objetivos são as ambições gerais e visões de longo prazo. São amplos e estabelecem o propósito e a direção da empresa. 

Metas, por sua vez, são aquelas mais específicas e mensuráveis, que ajudam a atingir os objetivos gerais. São mais concretas e oferecem pontos de avaliação, que mensuram o progresso em relação aos objetivos.

A saber, o plano de negócios da empresa é a bússola para iniciar essa segunda etapa, ao passo que contempla os objetivos gerais. Com base neles, o orçamento ganha suas metas.

Eleja a ferramenta adequada

Depois de analisar o negócio e pontuar seus objetivos, assim como as metas, o terceiro momento da construção do orçamento empresarial é optar pela ferramenta ideal aos objetivos da empresa.

Para a escolher a ferramenta adequada, no entanto, tenha atenção ao momento em que a sua firma vive. Aos empreendedores físicos ou com um negócio online é comum o uso do Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE), bem como das planilhas de orçamentos.

Já empresas maiores, devem possuir ferramentas a altura do seu porte. Isso implica, a saber, na contratação de aplicativos de organização e por sua vez, os softwares especializados, por exemplo, um programa de gestão. 

Softwares de gestão

Tais softwares são programas que ajudam as empresas a gerenciarem suas operações. Eles permitem a automação de tarefas rotineiras, bem como a integração de dados de diferentes departamentos. Isso permite à empresa enxergar de forma mais clara o negócio. 

Alguns exemplos de softwares de gestão empresarial incluem o SAP, o Oracle, assim como o Microsoft Dynamics. Estes softwares oferecem módulos para gerenciar todo o negócio, ao passo que também auxiliam nas tomadas de decisões.

Tenha atenção à montagem do orçamento

O quarto passo é, então, montar o orçamento empresarial em si. O momento requer atenção redobrada, pois todos os dados necessários à compreensão das finanças da empresa devem estar presentes, a saber:

  • despesas;
  • receitas, como a venda dos produtos ou serviços;
  • quantia de capital investido;
  • valores dos empréstimos;
  • projeção do fluxo de caixa;
  • ativos fixos;
  • custos das produções.

Lembre que quanto mais completa de informações essa listagem for, maior é a chance de um orçamento empresarial eficiente e acima de tudo, preciso.

Orçamento empresarial: a imagem mostra um homem analisando alguns gastos
Analisar com frequência o orçamento empresarial é tão crucial quanto montá-lo. Imagem de ijeab no FreePik

Liste os custos

O quinto passo para elaborar um orçamento empresarial está ligado, de forma única e exclusiva, às despesas da empresa. É válido lembrar que qualquer firma possui custos fixos e variáveis. Ambos, dessa forma, precisam compor o plano de finanças.

Compreende-se como custo fixo as despesas que uma empresa têm e que independem de suas vendas, bem como da produção. Em outras palavras, são gastos essenciais para que o negócio se mantenha em pé, por exemplo:

  • aluguel;
  • salários;
  • tributos.

Já os custos variáveis, por outro lado, são as despesas que variam, a saber, com a produção ou as vendas simples x vendas complexas. Quanto maior a produção, maior será o custo variável. 

É um gasto que varia de forma direta com a atividade da empresa. Por exemplo, a compra de matéria-prima, o orçamento de marketing, a contratação de funcionários freelancers, bem como a participação em feiras ou eventos.

Planeje os prazos

O sexto e penúltimo passo para a elaboração do orçamento empresarial consiste na elaboração dos prazos para um determinado período. Para facilitar a organização e a divisão, trabalhe o ano do plano em um calendário.

Isso auxilia na visão de tempo para compreender metas de rápido alcance, bem como de longo tempo. O calendário, por sua vez, é o cronograma que deve ser feito. Esse, a saber, colabora para que toda a equipe tenha noção mais didática do que se espera.

Nesse momento, liste todas as despesas e ganhos previstos. Aqui, cabe um adendo para incluir a métrica MRR, sobre a receita recorrente mensal. 

Também faça uma estimativa do capital de giro, os gastos de forma fixa e variável. Por fim, estipule uma projeção do quanto se espera que a empresa cresça no período.

Atenção aos resultados

Seguir os 6 passos descritos acima cooperam para a elaboração de um bom plano de finanças. No entanto é quando ele entra em cena, que é possível mensurar o quanto a empresa acompanha as projeções.

Isso significa dizer que o planejamento se torna realidade quando ele sai do papel e vai para a “vida real”. Monitorar o cumprimento do orçamento, a saber, é a tarefa que indica o sucesso ou o fracasso do empreendimento.

Além de funcionar como ação preventiva para sanar possíveis problemas, ao passo que também serve de radar para captar qualquer oportunidade de forma mais ágil e colocar em prática no negócio.

Como acompanhar com eficiência o orçamento empresarial?

Como dito acima, existem diversas ferramentas que auxiliam tanto na montagem, quanto no acompanhamento do orçamento empresarial. No entanto, nenhum programa substitui o olho do gestor do negócio.

Lembre que o orçamento fornece uma visão clara das despesas previstas e das receitas projetadas. Dessa forma, permite que a empresa identifique problemas, como a queda de preços e assim, consiga buscar por soluções adequadas de correção. 

Ao passo que o plano também permite a identificação de oportunidades. Essas, por sua vez, colaboram para:

  • reduzir custos;
  • para o alcance da economia de escala.

Por esses e outros motivos, acompanhar o orçamento financeiro é tão importante quanto elaborá-lo. Monitorar as finanças em tempo real e ajustar o orçamento conforme necessário, faz a diferença no cenário tão competitivo de mercado. 

Leia mais: artigos e notícias relacionados

Usamos cookies para melhorar sua experiência neste site. Ao continuar no site, você concorda com essas condições. Sim Mais detalhes