Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

Google mobile-first index: saiba como ele afeta a indexação e rankeamento das suas páginas

Google mobile-first index é uma avaliação do buscador que leva em conta a versão dos sites para celulares e tablets. Afinal, grande parte das pesquisas são feitas por esses dispositivos. Então, entender como ele funciona e como afeta as suas páginas é essencial.

O que é indexação no Google?

É o processo em que os bots do Google identificam, analisam e armazenam as páginas de um site. Dessa forma, as indexadas são as que aparecem ao se realizar uma pesquisa no buscador, por exemplo.

Como funciona a indexação neste buscador

Páginas antigas ou recém-criadas são visitadas pelo robô do Google com frequência. Assim, esse rastreador simula a experiência do usuário em seu site tanto para as questões técnicas quanto para o conteúdo.

Sempre que ele visita um endereço na web e descobre um novo link, ele o adiciona à sua lista para analisar depois. Desse modo, o rastreamento está ligado à posição no ranking do Google de uma página de acordo com a avaliação deste robô.

Este, por sua vez, atua como na organização de uma grande biblioteca. Para isso, ele cria um índice segundo o uso de palavras-chave, conteúdos e data de publicação, além de outros critérios.

pessoa usando um tablet com a tela mostrando a página de busca do Google
O Google mobile-first index é a nova forma de indexar páginas. Imagem de cottonbro em Pexels

Quais as mudanças com o Google mobile-first index?

A principal mudança é que agora o rastreador vai simular a experiência de um usuário de mobile em cada página primeiro. Além disso, os sites precisam se adaptar para atender o grupo que usa smartphones e tablets de forma mais completa.

Sabe-se que os dispositivos móveis são os mais usados pela maioria das pessoas hoje para realizar uma pesquisa rápida em qualquer lugar. Por isso, o buscador decidiu priorizar esse público na hora de entregar resultados.

É por esse motivo que buscas feitas por celulares e desktops podem ter resultados um pouco distintos. Isso ocorre, porque um site responsivo pode ter uma posição mais alta no ranking para mobile.

Novo modelo de indexação

O novo modelo de indexação do Google avalia o site pela experiência mobile. Antes da mudança, as páginas para desktop eram analisadas em primeiro lugar. Mas, isso impedia que os rastreadores identificassem falhas como a redução de conteúdo em uma versão.

O que muda para quem não tem um site mobile com o Google mobile-first index?

Ele é importante, mas não é o único fator para rankeamento. Dessa forma, ainda é possível manter o seu alcance de marca sem fazer essa transição. Então, os aspectos que vão deixar as suas páginas com uma boa posição é a aplicação de:

  • Design responsivo;
  • Estratégias de SEO;
  • Qualidade de produto e conteúdo.

A experiência do usuário em um celular não deve ser reduzida quando comparada a do desktop. Por isso, é essencial investir nessas ações tanto quanto em ter um site otimizado para mobile.

Perda de alcance da sua empresa na internet

Não ter a sua página indexada com agilidade e perder sua posição no ranking são fatores que vão afetar o tráfego no site. Ou seja, você corre o risco de ter um alcance de público menor. 

Como o Google mobile-first index afeta o rankeamento?

Note que o principal impacto que você pode notar no seu site é a redução de tráfego. Além disso, outros efeitos negativos podem ocorrer por não tornar as suas páginas responsivas. Em síntese, as principais diferenças são:

  • Queda de tráfego;
  • Baixa posição na SERP;
  • Menos rapidez na indexação.

Sites que já adotavam outras boas práticas recomendadas pelo buscador podem não ter muitos problemas com a mudança para o Google Mobile-first index. Ainda assim, é algo que se torna quase obrigatório para quem deseja crescer online.

Páginas responsivas e com velocidade de carregamento

São as que se adaptam a todos os tamanhos de tela sem perder o conteúdo. Além disso, é importante que elas não demorem a carregar, pois prejudicam a experiência do usuário e podem fazê-lo desistir de acessar o seu site.

Qual a melhor forma de se preparar para o Google mobile-first index?

É essencial entender que os celulares são os mais usados para realizar pesquisas hoje. Aliás, muitas delas resultam em compras, logo, se adaptar ao mobile first index é essencial para as empresas.

Principais pontos de atenção da ferramenta

Com esse cenário em vista, é preciso realizar mudanças. Assim, os principais pontos de atenção são a criação de um mobile-friendly, AMP e conteúdo completo em ambas as versões. 

1- Como criar um site mobile-friendly?

Vale destacar que isso não é o mesmo que um site mais responsivo. Mas, são adaptações que tornam as suas páginas mais amigáveis aos dispositivos com telas menores, como:

  • Tamanho de imagens e outros arquivos;
  • Navegação fácil, rápida e intuitiva;
  • Textos que se adaptem às telas pequenas.

O principal objetivo dessas ações é melhorar a experiência de uso em seu site. Desse modo, ele se mantém como uma boa opção tanto para desktop quanto para celulares e tablets.

Vantagens dos sites para dispositivos móveis

Com essas práticas, o robô do Google entende que o seu domínio oferece apresentação e conteúdos de qualidade. Assim, o mantém como relevante nos resultados de busca.

2- Accelerated Mobile Pages (AMP) no Google mobile-first index

O AMP é uma estrutura de HTML que serve para tornar o tempo em que as suas páginas carregam menor. Então, é um dos fatores essenciais para o Google mobile-first index.

Bounce Rate

Usar AMPs ajuda a reduzir a sua taxa de rejeição. Em síntese, o bounce rate é o índice que mostra os usuários que acessaram o seu site, mas não interagiram com nenhum conteúdo por algum motivo.

notebook em cima da mesa do lado de uma mesa digitalizadora pequena
O Google mobile-first index avalia o tempo que o seu site leva para carregar. Imagem de Monoar Rahman em Pexels

3- Por que manter o mesmo conteúdo no desktop e no mobile?

O processo de indexação do buscador também avalia o conteúdo presente nas duas versões. Desse modo, é preciso manter ambas com artigos, funções e dados completos.

Rankeamento do Google na versão mobile

Caso não mantenha as duas versões com conteúdos completos, pode perder a sua posição na SERP com o Google indexing. Afinal, o que você entrega para o mobile será a primeira análise.

Use o Google mobile-first index a favor do seu negócio

Agora você já conhece a importância de ter um site responsivo para Google. Então, use isso a seu favor para aumentar o alcance da sua marca e conseguir vender mais no seu negócio.

Seja o primeiro a ser notificado, sempre que um novo artigo ser publicado

Deixe uma resposta

Usamos cookies para melhorar sua experiência neste site. Ao continuar no site, você concorda com essas condições. Sim Mais detalhes