Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

O que é o planejamento tributário e qual é a sua importância?

Descubra como o planejamento tributário pode otimizar a carga fiscal da sua empresa e qual a sua importância nos aspectos cruciais que garantem o sucesso do negócio.

O planejamento tributário é um método estratégico crucial para as empresas, visto que as leis fiscais estão em constante mudança. Por isso, o artigo a seguir explora a fundo esse conceito e qual a sua importância para o sucesso da sua empresa a longo prazo. Entenda.

O que é o planejamento tributário?

O planejamento tributário é uma prática estratégica que as empresas adotam para ter uma melhor carga fiscal a que estão sujeitas. Seja por meio da escolha de regimes mais vantajosos, do uso de incentivos fiscais ou, ainda, pela reordenação das bases societárias.

Assim, ela envolve a análise, bem como a criação de táticas legais e financeiras que visam reduzir o montante de impostos a serem pagos, mas sem violar as normas definidas pelas autoridades fiscais.

O que é o planejamento tributário e qual sua importância?
O planejamento tributário ajuda a melhorar a carga fiscal das empresas. Imagem do Freepik.

Qual é a importância do planejamento tributário?

O planejamento tributário é vital para as empresas, uma vez que a sua prática impacta na sua saúde financeira, competitividade e capacidade de investir. Isso porque, ele não só atua na eficiência operacional, mas também nos lucros a longo prazo das organizações.

Confira a seguir os 3 principais pontos positivos desse método e como cada um deles pode ser aplicado para trazer os resultados que se espera.

Redução de custos e aumento dos lucros

Profissionais da área buscam brechas e meios legais que permitam à empresa otimizar sua base de tributos. Desse modo, eles podem incluir:

  • escolha estratégica de regimes mais aptos;
  • consideração de deduções e créditos fiscais;
  • aplicação ideal de incentivos fiscais específicos ao setor de atuação da empresa.

Ao reduzir a carga tributária de forma ética e legal, então, dá para voltar uma parcela maior dos recursos para investimentos, inovação, expansão e outros aspectos táticos. Os efeitos disso, aliás, podem ser vistos na porção dos lucros gerados por período.

Conformidade legal

A conformidade legal evita as multas e sanções por irregularidades fiscais, sendo assim, um plano bem feito faz com que a empresa cumpra todas as suas obrigações fiscais. Além disso, evita custos financeiros e protege a sua reputação.

Manter uma postura ética e transparente em relação às normas legais constrói uma imagem sólida da marca. Ao mesmo tempo, pode ajudar a reter cada vez mais clientes, bem como a atrair parceiros e investidores.

Benefícios fiscais

Os governos oferecem benefícios fiscais para promover certas atividades econômicas. Para isso, no entanto, é preciso entender e aplicar esses estímulos da forma certa. 

Isso inclui um menor custo com impostos para quem investe em pesquisa e gestão, assim como práticas que visam um avanço em aspectos cruciais para se obter sucesso.

Como deve ser feito o planejamento tributário?

O planejamento tributário exige uma análise profunda sobre o atual cenário no qual a empresa se encontra, desde o fluxo de caixa até a atuação no mercado. Afinal, ele busca otimizar sua carga fiscal de forma legal e eficiente. O passo a passo é o seguinte:

  • avaliar a fundo a atual situação da empresa (receita, gastos, riscos fiscais);
  • se manter a par das mudanças no âmbito legal;
  • entender todos os regimes tributários (lucro real e suprimido, simples nacional);
  • definir metas claras e realistas;
  • escolher o regime que melhor atenda às demandas do seu negócio.
O que é o planejamento tributário e qual sua importância?
O planejamento tributário exige uma análise profunda da situação atual da empresa. Imagem do Freepik.

Quais são as ferramentas usadas no processo?

Há várias ferramentas que podem ser usadas para analisar dados, bem como para simular cenários e tornar mais fácil a tomada de decisões. Aqui estão algumas das principais:

  • softwares para registro e de transações financeiras (QuickBooks, Xero, ContaAzul);
  • sistemas de gestão (SAP, Oracle, Microsoft Dynamics);
  • métodos de análise de dados (Tableau, Power BI, Google Data Studio);
  • planilhas digitais (Microsoft Excel, Google Sheets);
  • simulação de tributos (TaxSIM, Mastersaf, Wolters Kluwer);
  • compliance fiscal (Avalara, Sovos, Thomson Reuters);
  • gestão de documentos (DocuWare, M-Files, SharePoint).

Quanto custa um planejamento tributário?

O planejamento tributário custa em média R$ 2.000 a R$ 7.000 por plano. Esse preço pode variar de acordo com vários fatores, como, por exemplo, o escopo do plano, o tamanho da empresa, o regime atual e o uso das ferramentas usadas no processo.

Quais são os tipos de planejamento tributário?

Há vários tipos de planejamento tributário, e a opção entre eles depende da natureza e das demandas únicas de cada empresa. O de impostos indiretos, como ICMS, IPI, PIS e COFINS, por exemplo, visa reduzir a carga dos tributos fiscais.

Confira a seguir os 4 principais modelos e como cada um deles pode se adaptar ao que o seu negócio precisa em termos de otimização fiscal e normas legais.

Operacional

Refere-se às práticas e estratégias que uma empresa adota no dia a dia, ao mesmo tempo que visa melhorar a carga tributária de forma legal e eficiente. Manter um registro rico em detalhes é vital para esse modelo e, aliás, isso inclui:

  • vendas;
  • compras;
  • despesas
  • investimentos.

Outro ponto crucial é estar ciente dos benefícios fiscais disponíveis para o setor e região onde a empresa opera, bem como atestar que se apliquem da forma certa nas operações diárias.

Preventivo

Em vez de reagir a situações fiscais adversas, esse tipo de planejamento busca prevenir os eventuais conflitos com as autoridades fiscais e ampliar os benefícios legais. Sendo assim, ele se vale de uma abordagem proativa e preventiva.

Estratégico

É uma visão deliberada e de longo prazo que busca alinhar as práticas fiscais da empresa com os seus objetivos táticos globais. Ou seja, em vez de lidar só com questões imediatas, esse tipo de plano visa integrar acordos fiscais às decisões estratégicas do negócio.

Além disso, ele busca gerir ativos e passivos de modo a otimizar a carga tributária. Porém, isso pode envolver decisões sobre depreciação, amortização e práticas para redução de passivos tributários.

O que é o planejamento tributário e qual sua importância?
O planejamento tributário se divide em 4 tipos distintos. Imagem do Freepik.

Tático

Esse plano permite que a empresa faça ajustes operacionais e financeiros para elevar seus resultados fiscais a médio prazo. Assim, é uma abordagem ágil que responde às mudanças no ambiente tributário e às metas de negócios em um tempo mais curto.

O que não é considerado o planejamento tributário?

Não é tido como planejamento tributário o ato de fraudar dados, bem como sonegar impostos e não cumprir normas legais. Além de ser crime passível de punição, ele não engloba questões importantes para a gestão financeira da empresa.

Leia mais: artigos e notícias relacionados

Seu feedback é importante, comente!