Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

Gamification: onde surgiu o conceito e como aplicar aos negócios?

Gamification é uma estratégia usada para dar à audiência uma experiência interativa, com jogos online, que servem para fazer a captação de dados para o marketing

O gamification é uma das formas de criar mídias interativas, ou seja, aquelas que estimulam a participação dos usuários. Além do fator inovação, esse recurso pode trazer muitos benefícios ao negócio.

O que é gamification?

Gamification consiste em uma forma de apresentação de conteúdo em formato similar a um jogo de videogame. Com isso, ela busca trazer elementos lúdicos que geram interesse por parte dos usuários e estimula a sua participação.

De acordo com o tipo de game criado, é possível dividir em etapas ou fases, bem como, vincular recompensas para que as pessoas continuem ativas. Isso porque, seus elementos e história são pensados para reter a atenção.

Onde surgiu esse conceito?

A ideia surgiu ainda na década de 1970 quando os desenvolvedores de softwares buscavam formas de tornar o trabalho mais interessante. No entanto, foi a partir de 2010 que o gamification se tornou mais popular.

Inclusive, foi tema de uma palestra no Ted Talks de Jane McGonical em que defendeu que os games podem tornar o mundo melhor. Desde então, ele passou a ser utilizado em vários contextos, tais como:

  • apresentações de startups para investidores;
  • treinamentos corporativos;
  • entretenimento para clientes.

Não foi difícil para que os profissionais do marketing vissem o potencial desse tipo de recurso para o posicionamento de marca.

pessoa jogando no celular
O gamification é uma estratégia que usa recursos de games para tornar a comunicação mais interessante. Imagem de RODNAE Productions no Pexels

O que é considerado um conteúdo gamificado?

Para que se caracterize o gamification é preciso que alguns elementos estejam presentes, sendo um deles, o fato de demandar uma ação do usuário. Ou seja, não se pode deixar que a pessoa apenas assista o conteúdo, sem nenhuma interação.

Outro ponto importante é que deve haver regras e uma estrutura definida que direcione a um objetivo, que pode ser por exemplo:

  • acumular pontos;
  • cumprir tarefas;
  • passar de fases;
  • encontrar objetos.

O resultado do jogo, de igual modo, precisa ser variável de acordo com os esforços do jogador. Assim, jogos de sorte apesar de parecerem gamification não entram nesse conceito.

Qual a função do gamification?

O gamification tem como função principal gerar entretenimento aos usuários, mas não se restringe a isso. Essa é uma boa forma de tornar mais atrativos materiais complexos, por isso, é muito utilizada para o conteúdo educacional

Diante disso, a estratégia pode servir para muitas finalidades, como estimular o aprendizado, simplificar conceitos e também ser aplicada ao ensino. 

Quais as vantagens de incluir o gamification na sua estratégia?

O gamification tem como principal vantagem ser uma forma interativa de apresentar o conteúdo, assim, gera um elemento de interesse na audiência. Além disso, esse tipo de recurso se conecta melhor com o público jovem. 

Por essa razão, as startups mais modernas foram pioneiras em utilizar esse tipo de representação para gerar mais Relacionamento com o público. Desse modo, estimula também a competição e a dividirem seus resultados nas redes. 

Com isso, ainda que de forma indireta os conseguem transformar os clientes em promotores, já que a marca está associada às ações.

Captação de dados

Outro aspecto no qual o gamification merece destaque é a possibilidade de obter dados dos usuários, que podem ser usados para fins de análise do mercado. Afinal, quando uma pessoa cria um perfil para jogar, precisa fornecer ao menos um telefone ou e-mail. 

Em muitos casos, usa-se o mesmo login das redes sociais, o que fornece informações ainda mais completas, tais como:

  • curtidas;
  • interesses;
  • localização;
  • dados pessoais.

É essencial deixar bem claro ao usuário quais dados estão sendo obtidos e como serão utilizados. Afinal, com a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados é preciso tomar o máximo de cuidado para evitar vazamento de informações pessoais de terceiros.

O gamification se aplica a qualquer segmento?

O gamification pode ser aplicado a diversos segmentos, o mais importante é verificar se se adapta ao seu perfil de cliente. Isso ocorre porque essa é uma ferramenta mais inovadora, que pode não ter adesão de um público mais velho.

De modo similar, vale levar em conta se esse tipo de ferramenta faz sentido com os valores da sua empresa. Nesse sentido, ele traz um ar mais inovador, por isso é uma boa escolha para startups e companhias do ramo de tecnologia.

Como em qualquer estratégia, é preciso fazer testes para ver se o jogo terá uma boa repercussão com o seu público. Desse modo, essa pode ser uma boa estratégia para complementar as que já utiliza em seu negócio. 

celular com tela do jogo pokemon aberta
O gamification pode ser aplicado a diversas áreas, inclusive na educação para tornar mais simples temas complexos. Imagem de Anton no Pexels

Como aplicar o gamification?

Para aplicar o gamification, antes de iniciar a criação do game em si, é necessário passar por uma etapa de planejamento prévio. Nesse passo, é preciso pensar nos objetivos, perfil do público, bem como, em quão complexo será o game.

Na sequência, confira alguns passos para levar em conta na hora de começar o processo de criação do gamification para o seu negócio.

Crie uma história

O primeiro passo para que um game tenha sucesso é ter uma boa história, assim busque criar um contexto, personagens e uma missão final. Todos esses itens ajudam a conectar a audiência e estimulam os usuários a tentar concluir a saga.

Mesmo que seja um jogo simples de passar de fases, você pode incluir diferentes cenários, estações ou mesmo a evolução do personagem principal. Também é válido incluir a opção de criar e customizar o avatar, ou seja, o personagem que representa o jogador.

Divida os progressos em fases

Para que o jogador se sinta estimulado a jogar é preciso estabelecer pequenas metas ou fases no Game. Além disso, é válido aumentar a dificuldade conforme passa pelas etapas, para tornar mais desafiador.

Criar um ranking entre os jogadores também é um recurso que pode estimular a competição e fazer com que engajem mais com a solução. Em alguns formatos, é possível inclusive criar ligas ou grupos para participar entre amigos.

Tempo máximo de conclusão

Criar um limite de tempo para concluir cada fase também é uma forma de gerar maior interesse na audiência. Esse é um item que traz uma sensação de urgência e faz com que o usuário se empenhe em tentar concluir antes do fim do prazo.

Recompensas

As recompensas trazem uma experiência positiva para o gamification, uma vez que validam o esforço em conseguir realizar suas tarefas. Elas podem ser simples, como ganhar uma vida extra ou um bônus para utilizar em outras fases. 

Também é possível estabelecer um esquema de símbolos, em que o usuário ganha uma espécie de troféu ao completar determinadas funções.

Como engajar a participação no gamification?

Para que o gamification funcione, é vital deixar que o usuário se sinta no controle de suas ações. Ainda que ele seja direcionado a tomar uma decisão, é essencial apresentar escolhas ao longo do processo, para que tome suas decisões.

Outro ponto para pensar é criar meios para criar uma postura otimista no jogador. Afinal, por mais que haja um ranking é preciso pensar em formas de apresentar isso de modo a não desestimular sua participação.

Também é possível incluir alguns facilitadores para ajudar a passar nas fases mais complexas, para evitar que o usuário desista de participar.

pessoa jogando no celular
Para o gamification ter sucesso é essencial criar uma boa história para gerar interesse e reter a audiência. Imagem de Beata Dudová no Pexels

Quais são os maiores exemplos de gamification?

Entre os bons exemplos de gamification há grandes empresas que já aplicam a técnica, como a Nike e seu aplicativo Nike Run. Nele, os usuários conseguem compartilhar seus progressos no esporte e definir suas próprias metas.

Na sequência, veja outros casos de sucesso na aplicação da estratégia de games para divulgar sua marca e gerar Interação com o público.

Smart Pig

O aplicativo de finanças permite ao usuário acompanhar de forma lúdica as metas para poupar dinheiro ao longo do ano. Ele também integra informações bancárias, como volume de depósitos e saldo em conta.

Feedier

Esse é um aplicativo que permite aos consumidores darem feedback sobre sua experiência de consumo de forma lúdica. Isso porque, ele conta com recursos em vídeos animados para conseguir mais engajamento. 

Com isso, a empresa consegue um índice maior de participação dos clientes e assim, obtém valiosos insights para aplicar em seu negócio.

Morning Score

Esse aplicativo combina o gamification com as ferramentas de SEO, ao criar uma competição para ver se sua página está bem qualificada. Assim, ele simula os resultados com base em índice de pesquisas por palavras-chave.

Vale a pena incluir o gamification na sua estratégia?

O gamification pode ser uma boa estratégia para quem busca modernizar sua comunicação. Ele se conecta bem com um público mais jovem, mas também pode ter boa adesão nas demais faixas etárias. 

Esse recurso é muito útil para diversificar os meios de comunicação de uma empresa e torná-la mais inovadora. Além disso, criar um jogo próprio não precisa ser algo tão complexo.

Com uma assessoria para programação, é fácil definir o layout, fases e demais aspectos do jogo para colocar no ar. Feito isso, basta acompanhar os resultados para verificar se teve uma boa recepção e se preciso ajustar algum ponto.

Usamos cookies para melhorar sua experiência neste site. Ao continuar no site, você concorda com essas condições. Sim Mais detalhes