Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

Tudo sobre a função e a rotina de um web developer na sua empresa

O web developer tem o trabalho de desenvolver o consumo de informação e de modo indireto, a venda de produtos, alinhados aos objetivos de marketing.

A função do web developer em uma empresa cresce à medida em que esta amplia sua presença na internet. Afinal de contas, quem cuidaria dos canais digitais da empresa se não fosse esse profissional? Saiba tudo sobre a rotina e a função dessa profissão.

O que faz o web developer?

O web developer é o profissional responsável por programar páginas, assim como todas as movimentação online da empresa. A demanda por esses profissionais aumenta na velocidade das mudanças no cenário tecnológico.

Imagina o quão caro é custear uma equipe terceirizada para solucionar dilemas como, por exemplo, a importância de ter um site em operação. Logo, a ideia de ter um profissional do desenvolvimento à disposição da empresa diminui custos e agiliza processos.

De modo básico, um web developer ter por função a atuação em quatro frentes de processamento de informações, a saber:

  • Desenvolvimento back e front-end;
  • Configuração dos bancos de dados;
  • Manutenção e atualização dos servidores.

A seguir, vamos detalhar cada uma dessas frentes. Isso auxiliará na compreensão exata da função deste profissional tão importante para a sobrevivência digital de uma empresa.

Front-end

Desenvolver o front-end de um site implica pensar em como ele será diante dos olhos do usuário. Ou seja, é a partir dessa área que o visitante consome o conteúdo da sua página, assim como pode interagir com ela.

Esse trabalho precisa garantir a qualidade quanto à experiência de navegação do usuário e tem por linguagem comum  HTML, o CSS e o Javascript.

No entanto, o web developer conta com condicionais que independem da sua atuação e variam de navegador para navegador. Como por exemplo, as variações em tons de uma mesma cor ou a aparência de detalhes. 

Muitos profissionais atuam em sinergia com o design e a comunicação, para confeccionar front-end atrativos aos olhos do usuário.

Back-end

O back-end de um site é tudo aquilo que o usuário não vê, mas que caso não funcione gerará problemas. E um deles é a perda da visitação, o que implica de forma negativa nas estratégias, assim como nos truques de SEO.

Logo, a função do web developer ao desenvolver o back-end de um site envolve programação pura. A boa experiência do usuário vai aparecer a partir de um bastidor bem feito.

Para ilustrar, imagine o site de uma rede de lanches em que o consumidor monta seu lanche. O trabalho back-end é garantir cada etapa, da escolha à finalização do pedido, da forma mais rápida, organizada e visual possível.

Dessa forma é uma ação que conta com o trabalho constante de setores como comunicação, finanças e jurídico (devido à Lei Geral de Proteção de Dados).

Banco de dados

Também é função do web developer organizar os milhares de dados que compõem o back-end de um site. Somente um trabalho assertivo dá conta de deixar tudo arrumado e claro, seguro ao passo que acessível.

Imagine o tamanho do banco de dados de um site, por exemplo, de uma gigante de vestuário. Somente com um trabalho preciso, o site rodará a contento, sem perder a qualidade das informações, como os dados pessoais dos consumidores.

Trata-se de uma das tarefas mais delicadas da rotina de um web developer. Por isso, a premissa para trabalhar com banco de dados envolve atenção redobrada.

Manutenção do servidor

A manutenção do servidor é o básico das funções do web developer. Ao passo que tudo que está online precisa de monitoramento e atualização constantes.

Isso serve para as mudanças no design, a inserção de conteúdos novos ou a ampliação das informações do banco de dados. Ou seja, para tudo que o usuário vê de modo direto, ou indireto, em uma página.

Pessoa programando em computador branco em cima de mesa branca de escritório
A presença do web developer na empresa é indispensável para a vida desta na internet. Imagem de pressfoto no FreePik.

É importante contar com um web developer na empresa?

A presença de um web developer na empresa é indispensável, haja visto a velocidade de transformação que a internet vive todos os dias. Cabe à empresa considerar a sua realidade para decidir que tipo de contratação optar.

Existem profissionais freelancer, contratados para atender demandas pontuais, como projetos com data de início e término e que recebem na entrega de cada projeto.

Ao passo que existem empresas com profissionais no quadro de funcionários, uma vez que a quantidade de canais digitais, assim como de novos projetos, é crescente. 

Se a sua empresa dispõe de orçamento para contar com um web developer entre os colaboradores, faça esse investimento. A seguir, expomos 3 motivos para te convencer do porque ter esse profissional integrado ao time de marketing e comunicação.

Maior experiência sobre o produto

A rotina do web developer em uma empresa parece ser massante, no entanto, não é. Pois, é a partir do trabalho constante dele, que o projeto de domínios website, por exemplo, se torna conhecido e passível de ajustes.

Isso significa que quanto maior for o tempo de dedicação do profissional aos projetos da empresa, mais conhecimento ele tem e isso é muito benéfico à empresa.

Logo, tanto know-how, agiliza a tomada de decisão, assim como na captação de sinais de mercado para avançar com as tecnologias empregadas.

Maior rendimento com grandes projetos

Grandes projetos subentendem o planejamento a médio e longo prazo. Por sua vez, contar com um profissional já integrado à equipe, confere autoridade para executar ações de expansão ou com mais interligações.

Ao invés disso, quando a empresa opta por contratar profissionais por demanda, este não consegue desenvolver a visão de futuro. Ao passo que esta é uma das variáveis que determinam a vida útil digital da empresa no mercado.

Maior agilidade na busca por soluções

Existem ajustes que não podem esperar, pois geram prejuízos. Até mesmo os pequenos detalhes são sinais de atenção quando não corrigidos a tempo.

A disponibilidade de um freelancer vai de encontro à função de web developer já alocado na empresa. Ao passo que a empresa fica refém do tempo de um, enquanto consegue antever cenários ao contar com o trabalho dentro da empresa.

A busca por soluções de modo mais ágil acontece com eficiência quando já existe um trabalho in loco e é por meio dele, que a empresa não perde tempo, nem dinheiro, para ajustes, manutenções e atualizações.

Pessoa programando em notebook usando camisa de manga longa xadrez azul com dois grandes monitores à sua direita em desfoco ao fundo
A remuneração de um web developer, em média, é de pouco mais de R$3200,00. Imagem de DCStudio no FreePik.

Qual é o salário de um web developer?

A média brasileira do salário de um web developer é algo em torno de R$3282,00. Esse cálculo advém do site Love Mondays, plataforma que é nutrida pelas informações vindas dos próprios colaboradores.

Na página existem relatos de ganhos acima do R$800,00 com teto máximo de pouco mais de R$8000,00. A remuneração, por sua vez, varia de região para região, assim como da oferta de profissionais.

A região Norte, a saber, oferece remuneração maior que a região Sudeste, uma vez que o mercado de profissionais é mais saturado em SP e RJ, do que em AM e PA, por exemplo.

Quais as qualificações que um web developer deve ter?

Para ingressar na área o básico do web developer é possuir, ao menos, um curso técnico na área de desenvolvimento de sistemas. De preferência, com estágio passível de referência.

No entanto, a graduação é item valioso no currículo e para tanto, os cursos de ciência e engenharia da computação, bem como tecnologia da informação são excelentes opções.

Se engana, porém, quem pensa que os dois itens acima são suficientes para garantir a fixação no mercado. É evidente que eles abrem portas, no entanto a busca por atualização deve ser constante, como por exemplo:

  • formação lato-sensu, como as pós-graduações;
  • cursos de curta duração, conhecidos como especializações.

Além disso, cursos pontuais que atendem à velocidade das mudanças na internet são diferenciais. Fora o consumo de leitura direta da área, bem como de áreas correlatas, a saber, o marketing digital.

Quais são as habilidades desejadas em um web developer?

As habilidades necessárias de um web developer, em suma, tem a ver com o conhecimento profundo das linguagem de back e front-end e também, de todos os tipos de softwares existentes.

Além disso, deve dominar ferramentas de controle de versão e ter experiência com o design responsivo. Outra habilidade requisitada pelo mercado é o conhecimento em boas práticas, assim como dicas de SEO, pois ajudam na melhor aplicação dos códigos de programação.

A saber, o mercado também observa competências racionais, como a criatividade, a atenção, a capacidade de organizar, assim como a mente orientada para solução de problemas.

Junto a elas, estão as competências socioemocionais, como a facilidade em dialogar e negociar, a administração do tempo e de situações de pressão, bem como a constante curiosidade.

Mulher programando em computador preto em cima de mesa de madeira preta enquanto aponta para notebook à sua direita mostrando algo a companheiro de trabalho
O processo de contratação de um web developer envolve uma etapa de teste prático. Imagem de DCStudio no FreePik.

Como contratar um profissional web developer?

A contratação de um web developer deve buscar por profissional de fato, qualificado, e é aí que mora a importância de uma vaga bem descrita e divulgada. Pense na descrição da vaga, de modo a incluir as responsabilidades e os requisitos da função.

Essa é uma primeira peneira, ao passo que só avança no processo seletivo que contempla os pré-requisitos, O próximo passo, então, é analisar os portfólios dos interessados. Se atente ao conteúdo, aos códigos criados, assim como os projetos de destaque.

Uma prática muito comum, antes das entrevistas, é a aplicação de um teste prático. A ideia é avaliar quesitos práticos e específicos à rotina do profissional na empresa.

Após essa fase, apenas os mais alinhados à sua empresa, avançam à fase das entrevistas. Essa, por sua vez, deve contemplar perguntas que estejam alinhadas à estratégia que envolve o desenvolvimento, como por exemplo, o marketing.

Agora, que você conhece muito bem a função e como contratar alguém da área, sente junto à sua equipe que atua com o marketing e as  ferramentas de SEO para compor o perfil ideal da vaga. Ao seguir nossas dicas você terá à disposição um bom e promissor web developer.

Leia mais: artigos e notícias relacionados

Usamos cookies para melhorar sua experiência neste site. Ao continuar no site, você concorda com essas condições. Sim Mais detalhes