Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

Marketing Digital: quais os principais conceitos e métricas para criar uma boa estratégia?

O Marketing Digital é o principal meio pelo qual as empresas conseguem se destacar no mercado hoje em dia. Afinal, as compras online e as redes sociais já fazem parte do cotidiano das pessoas. Por isso, vale a pena conhecer sobre o assunto para ganhar seu espaço.

Guia Rápido

O que é Marketing Digital?

Esse ramo do marketing usa as mídias digitais para promover o conteúdo de uma marca. Para isso, utiliza uma série de técnicas para aumentar o alcance do conteúdo, bem como, criar um relacionamento com o público.

Uso de canais digitais

As redes sociais são o principal meio para colocar essa estratégia em prática. Isso porque, a grande maioria dos potenciais clientes acessa de modo diário. Além disso, é possível usar diferentes formatos, como vídeos e textos. Entre as principais plataformas estão:

Cada um tem um tipo de público, seja ele mais jovem, tradicional ou com maior poder aquisitivo. Por isso, é essencial saber qual tipo de perfil se conecta ao produto que oferece para acertar no canal de divulgação.

imagem mostrando diversos apps de redes sociais como Twitter e Facebook
Foto: O Marketing Digital usa as redes sociais para promover uma marca. Imagem de Pixabay no Pexels.

História do Marketing Digital

O Marketing Digital deu seus primeiros passos a partir da década de 1990. Foi quando a Internet e aparelhos celulares começaram a se tornar mais populares. Então, as empresas viram uma nova oportunidade para chegar aos clientes. 

Criação da Internet

A Internet surgiu em 1960, mas foi em 1990 que surgiram os grandes portais. O Orkut, por exemplo, foi a primeira rede social. Também nessa época nasceram os motores de busca como Yahoo e MSN.

Os provedores de e-mail se tornaram populares. Ao longo dos anos, o envio de publicidade por este canal se tornou uma das principais estratégias de Marketing. Inclusive, é utilizada até hoje, com ótimos resultados.

O que é Web 1.0?

Web 1.0 é um termo usado para designar a primeira fase dos conteúdos na Internet. Nesse  formato, as mídias eram estáticas e não permitiam a interação com os espectadores. Assim, o que se via eram sites mais técnicos, apenas para pesquisa.  

Comunicação passiva

O usuário comum não podia publicar ou comentar nos conteúdos. Ou seja, sua interação se limitava a visitar um endereço na web para consulta. Ainda assim, isso foi um grande avanço, uma vez que otimizou o acesso à informação.

O que mudou na Web 2.0?

Já na segunda fase da Internet, também chamada Web 2.0, os conteúdos se tornaram mais interativos. Isso foi possível a partir de uma mudança nas linguagens de programação, que trouxeram funções como:

  • Comentários;
  • Avaliações;
  • Compartilhamento. 

Também houve um cuidado maior em criar interfaces agradáveis. Se antes o visual era mais simples e focado no conteúdo escrito, agora havia mais recursos para reter a atenção de quem acessa.

Comunicação ativa

Por conta dessas mudanças, cresceu o número de páginas pessoais, como blogs, por exemplo. Cada um podia, de forma simples, se tornar também um criador de conteúdo sobre assuntos de seu interesse. 

Esse momento foi importante para tornar a Internet mais acessível. Afinal, a maior parte dos sistemas já tinha a opção de acesso gratuito. Além disso, as publicações podiam ser atualizadas de forma constante.

Qual o conceito de Mix de Marketing?

O Mix de Marketing consiste na criação de uma estratégia para consolidar uma marca ou produto no mercado. Para tanto, ele se baseia em cinco pilares principais, que visam ajudar a definir:

  1. O público-alvo;
  2. Preço do produto;
  3. Linguagem adequada;
  4. Os diferenciais da marca;
  5. A solução que o item oferece.

Com um bom plano de marketing é possível reduzir o custo nas campanhas, uma vez que são mais assertivas. Desse modo, se obtém um retorno maior nas vendas e ganha a confiança do cliente.

Quais os Ps do Marketing?

Os quatro Ps se relacionam aos pilares do Mix de Marketing e servem para estruturar a estratégia. O primeiro deles é o produto, ou seja, é preciso definir bem a quem se destina e qual problema resolve. 

Já o segundo é o preço, que deve ser calculado de modo a cobrir os custos e a margem de lucro. Em seguida, a praça significa o local, seja físico ou digital, onde será vendido. Por fim, a promoção reflete a oferta, que deve atrair o cliente.

4 Ps do Marketing e outras estratégias

Em complemento aos 4 Ps do Marketing surgiram outros conceitos a fim de guiar o planejamento. Nesse sentido, vieram os quatro Cs, que significam, por sua vez:

  1. Cliente, ou seja, busca entender o público;
  2. O custo, que tem relação direta com o preço;
  3. Convencional, que busca tornar mais fácil a jornada de consumo;
  4. Enfim, a comunicação, que determina a relação com o cliente.

Todos esses itens devem ser pensados de forma conjunta. Aliás, é preciso que todo o plano seja feito de forma individual para cada marca. Afinal, cada uma tem os seus valores e perfil de clientes ideal.

Quais os principais conceitos-chave do Marketing Digital?

Alguns termos são muito comuns nesse meio, embora muitos não saibam o seu significado. Assim, confira na sequência os principais conceitos utilizados no Marketing Digital:

Entender cada um desses conceitos e qual a importância deles um ajuda a aplicá-los da forma correta. Com isso, dá para aumentar os resultados de um produto no mercado online.

Upsell, cross-sell e SPIN Selling

Mesmo que soem parecidos, esses termos têm significado diferente e são importantes quando se fala em guia de vendas. O Upsell consiste em convencer o cliente a comprar um produto superior. Ao adquirir um software, por exemplo, pode ofertar uma versão diferenciada, com mais recursos.

Já o cross-sell busca complementar a compra. Ou seja, o cliente leva um produto e é sugerida a compra de um adicional, que seja relacionado. Por fim, o SPIN Selling visa entender o que o cliente precisa para oferecer a melhor solução.

pessoa sentada trabalhando em um tablet e fazendo anotações
Foto: A estratégia de marketing deve definir o público-alvo para se dirigir aos potenciais clientes. Imagem de Mikael Blomkvist no Pexels.

1 – O que é persona no Marketing Digital? 

A persona no Marketing Digital é a personificação do cliente ideal. A partir de dados reais, cria-se um perfil, com dados como idade, profissão e estado civil. Quanto maior o nível de detalhes, mais ele ajuda a entender os desafios, bem como, como o produto pode ser útil.

Diferença entre persona e público-alvo

É comum que esses dois conceitos sejam tratados como sinônimos. O público-alvo é mais amplo e traz informações gerais, que se aplicam a um grande número de pessoas, como por exemplo:

  • Mulheres;
  • Faixa etária entre 30 e 40 anos;
  • Renda entre R$ 3 e R$ 4 mil;
  • Que residem na região Sul.

Já para criar a persona, usam-se esses mesmos dados, mas com um fator mais humanizado. Assim, um exemplo dentro desse conceito seria: Daniela, 35 anos, empresária, casada, com dois filhos pequenos.

Você conhece o seu público?

Conhecer o público é uma parte essencial para criar uma estratégia de marketing. Para isso, existem vários recursos disponíveis, tais como relatórios de acesso em páginas web e redes sociais. 

A partir dessas informações, é possível direcionar as ações da marca e ajustar o tom da comunicação. Além disso, esses dados ajudam a entender aquilo que o cliente precisa e trazer o produto que atenda a demanda.

2 – O que é um lead no Marketing Digital?

Um lead é o contato de um potencial cliente, uma vez que a própria pessoa cede as suas informações. Assim, ele já manifestou algum interesse no produto ou serviço. Mas, nem sempre ele já está pronto para fazer a compra. 

Por essa razão, o lead entra na estratégia de relacionamento da marca. É possível direcionar a eles e-mail marketing, por exemplo, e a partir daí selecionar aqueles com maior potencial de conversão.

Inbound Marketing

Essa estratégia visa atrair o público, ou seja, é o primeiro contato dele com o produto. Aliás, é o meio pelo qual se captam os leads, ao oferecer alguma facilidade, tais como:

  • E-books;
  • Newsletters;
  • Inscrição no canal para receber atualizações.

Diante disso, esse é um ponto que merece especial atenção no planejamento, porque é por meio dele que o cliente conhece a marca. A partir daí, é preciso manter essa relação por meio de conteúdo de valor.

Atendimento humanizado

Um dos pontos que fazem a diferença no relacionamento é fazer com que o cliente se sinta único. Por isso, o ideal é oferecer um atendimento humanizado, sem respostas automáticas. Além disso, uma boa forma de estreitar o vínculo é indicar opções que atendam ao perfil.

Existem diversos recursos que permitem direcionar mensagens especiais no aniversário, por exemplo. Dá para oferecer um cupom especial, bem como, indicar quando um produto que a pessoa se interessou voltou ao estoque.

3 – Como criar um funil de vendas no Marketing Digital?

O funil de vendas funciona, de modo simples, em três frentes, que são a atração, retenção e conversão. Ele é representado como uma pirâmide invertida, que se divide em três partes principais:

  • Topo: onde está a maior parte das pessoas que visita a página e recebe anúncios;
  • Meio: momento em que a pessoa conheceu o produto e considera a compra;
  • Fundo: é onde ocorre a decisão por adquirir o item.

Para uma estratégia de sucesso é preciso dividir as ações de Marketing para atender a cada um desses momentos. Com isso, se trabalha de modo simultâneo todas as fases do cliente.

Jornada do consumidor e e-commerce

A jornada de consumo é o caminho que o usuário percorre desde o topo até optar pela compra. Isso ocorre de forma ainda mais rápida no e-commerce. Afinal, existem recursos para ver quem colocou o produto no carrinho e não fechou a compra, por exemplo.

Também é possível identificar o perfil de consumo de uma pessoa e direcionar sugestões similares. Portanto, isso amplia o potencial de vendas de uma empresa e gera mais assertividade.

Fases do cliente

Ao percorrer o funil de vendas, o consumidor passa por algumas fases. A primeira delas é a descoberta, ao tomar conhecimento daquele produto. Então, ele entende para que serve e passa para a consideração, ao cogitar a compra.

Quando enfim se convence, ele passa para a fase de decisão de compra. Assim, ele chega ao fundo do funil. Com isso, as chances de concluir uma aquisição são maiores do que se estivesse no topo, por exemplo.

pessoa sentada trabalhando no laptop e celular ao mesmo tempo
Foto: O Marketing Digital visa conduzir o cliente até o fundo do funil, ou seja, ao momento da compra. Imagem de Foto de Pavel Danilyuk no Pexels.

4 – Como usar o CRM no Marketing Digital?

O CRM é uma ferramenta para gerenciar o relacionamento com os clientes. Então, é um software por meio do qual é possível criar cadastros e atualizar com informações como: 

  • Vendas realizadas;
  • Suporte;
  • Valor de gastos.

Esse tipo de dado é muito importante para uma estratégia de Marketing Digital. Afinal, é uma base de leads, que permite visualizar em que momento estão e assim direcionar um tipo de ação.

Gestão de relacionamento

Essa também é uma boa forma de acionar os clientes que não compram há muito tempo. Assim, pode buscar entender o porquê de não terem retornado e corrigir falhas no atendimento ou na oferta.

OKR

A sigla OKR é a redução da expressão Objectives and Key Results, que na tradução significa Objetivos e Resultados-chave. Trata-se de um método para criar e acompanhar metas. Ao aplicar ao marketing é preciso definir:

  • Os objetivos principais, por exemplo, elevar em 30% as vendas;
  • Já os resultados-chave são pequenas metas fixadas para alcançar o principal.

O uso do CRM nesse contexto serve para acompanhar os números e a evolução do plano. Portanto, é preciso que tudo esteja integrado para que se obtenham dados corretos.

5 – O que são landing pages no Marketing Digital?

As landing pages no Marketing Digital são páginas voltadas à conversão da venda. Uma característica comum é que ela contém elementos para atrair a atenção, bem como, links que direcionam o cliente.

Outro recurso muito usado nessas páginas é a escrita persuasiva ou copywriting. Assim, em uma landing page, busca-se ao longo do texto quebrar as objeções do cliente que ainda está indeciso sobre a compra.

Iscas digitais

As iscas digitais são um meio de atração de clientes. Para isso, se usa um item gratuito, que chama a atenção e entrega algo útil ao usuário. Esse tipo de conteúdo pode ser em vários formatos, tais como:

  • E-books;
  • Vídeos;
  • Webinars;
  • Aulas ao vivo.

É possível incluir essas iscas em uma landing page para obter resultados ainda melhores. Assim, se o objetivo da página é captar leads, pode oferecer um e-book para quem se cadastrar.

6 – Como otimizar o seu conteúdo com SEO no Marketing Digital

O uso de palavras-chave com bom volume de buscas é um dos principais meios de otimizar o conteúdo. Afinal, as ferramentas de pesquisa fazem uma varredura em poucos segundos e trazem ao usuário as páginas que falam sobre o tema.

A palavra-chave também deve ser distribuída de modo uniforme ao longo do texto e nos títulos. Além disso, é bom que haja alguns links que direcionam a conteúdo relacionado. Desse modo, o buscador entende que aquele conteúdo é mais completo.

SEO Local e Ubersuggest 

O Ubersuggest é uma plataforma que permite fazer uma análise completa sobre a estratégia de SEO. Ao se cadastrar, o usuário pode inserir a URL de seu site ou blog. Então, pode selecionar a região que o negócio está localizado. 

A partir disso, ele permite monitorar os resultados do seu site por palavras-chave, por exemplo. Assim, é possível comparar como está em relação a outros concorrentes. Também dá para ter ideias de conteúdo com base nos termos mais buscados.

Web crawler

O Web crawler é um algoritmo, similar ao que o Google usa para pesquisar um termo e retornar os resultados mais relevantes. Mas, no Marketing Digital ele pode ser usado para se atualizar sobre o que há de novo.

Ao usar esse recurso, o usuário pode indicar alguns links de sites para pesquisa. Ele levanta as páginas internas e inclui esses endereços para novas buscas. Então, ele retorna sempre que há alguma atualização.

7 – Como usar o CMS na sua estratégia de Marketing Digital?

O CMS é a sigla para Content Management System, ou seja, é um sistema de gestão de conteúdo. De modo simples, é uma plataforma que permite criar um site ou blog a partir de templates, de forma intuitiva.

Com isso, é possível focar apenas na produção de conteúdo para a página, sem se preocupar com a programação. Além disso, esse recurso busca tornar o conteúdo visualmente mais acessível, o que melhora o ranqueamento nas buscas.

Marketing de Conteúdo

A criação de conteúdo é uma das principais estratégias do Marketing Digital. Ela se pauta na criação de um relacionamento com a audiência. Assim, traz temas de interesse do público, que tenham alguma relação com o produto que oferece. 

Em certo ponto, o marketing de conteúdo ajuda a marca a ganhar a confiança do consumidor e com isso fica mais fácil efetuar a venda. Ainda, por vezes, há uma identificação que torna o cliente fiel, ou seja, ele volta a adquirir o mesmo item.

pessoa sentada trabalhando no laptop. Na mesa também há um celular e uma caneca de café
Foto: Um dos objetivos do Marketing Digital é destacar o conteúdo nas pesquisas online. Imagem de Pixabay no Pexels.

8 – O que é CTA no Marketing Digital?

CTA é a abreviatura para o termo Call to Action, ou chamada para ação. Consiste em inserir um comando ao espectador, para que tome uma atitude com relação ao conteúdo, que pode ser:

  • Compartilhar;
  • Enviar um comentário;
  • Acessar um site;
  • Fazer um cadastro
  • Curtir a publicação.

Para que seja efetiva, é preciso que ela faça sentido dentro do contexto. Desse modo, se a intenção é que a pessoa compartilhe um vídeo, ele deve ser interessante ou ensinar algo que faça enviar a outra pessoa.

Outro ponto importante é que o comando precisa ser claro e objetivo. Assim, o ideal é optar por uma única ação, porque quando há muitas opções, o usuário tende a não fazer uma escolha.

9 – Como criar um fluxo de nutrição no Marketing Digital?

O fluxo de nutrição de leads visa aproveitar os usuários que foram captados. Assim, trabalha cada um deles para conduzir à conversão da venda. Para isso, se pauta em algumas ações básicas, que são:

  • Categorizar, de acordo com o perfil de cada um;
  • Oferecer conteúdo de valor, que ressalte a autoridade no assunto;
  • Personalizar a comunicação;
  • Analisar os relatórios para ver quais campanhas tiveram melhor impacto.

Usar plataformas de automação de marketing para isso facilita muito o processo. Nelas, é possível separar grupos para envio de um modelo de e-mail, por exemplo. Também trazem relatórios com os resultados, para avaliar o desempenho.

Etapas do cliente no funil de vendas

Todos os recursos visam levar o potencial cliente ao fundo do funil, ou seja, à conversão da venda. Para isso, o lead passa por todo o caminho até esse momento. Em um primeiro momento, ele descobre a marca e a solução que oferece. 

Por meio do conteúdo, passa a entender como aquele produto pode ser útil. Então, começa a cogitar a compra, para enfim tomar essa decisão. Esse processo pode ser mais rápido ou lento, conforme o perfil. Por isso, é preciso variar os tipos de abordagem.

Siga um guia de vendas na sua estratégia

Para que tudo funcione bem, o ideal é criar um guia de vendas. Nele, podem constar as informações do produto, bem como, como vencer as principais objeções. Assim, serve de norte para o atendimento ao cliente.

Quais os principais benefícios do Marketing Digital?

O Marketing Digital é essencial para quem busca se destacar no mercado. Afinal, com o fácil acesso à informação, antes de qualquer compra o cliente busca referências sobre o produto na Internet. Além disso, outras vantagens em investir nessa estratégia são:

  • Gerar relacionamento com o cliente, e por consequência fidelizá-lo;
  • Ter autoridade no ramo;
  • Alcançar mais pessoas;
  • Segmentar o público

Outro ponto favorável desse recurso é usar o retorno da audiência para melhoria do produto. Isso deve estar no seu plano de marketing e pode ocorrer por meio de feedbacks e avaliações, ou ainda com pesquisas para entender as demandas do cliente.

Melhores práticas do Marketing

Para ter uma estratégia de marketing de sucesso é essencial ter planejamento. Para isso, é preciso definir os objetivos, bem como, conhecer o público. Outros itens que fazem a diferença são:

  • Humanizar a marca;
  • Gerar conexão;
  • Valorizar o cliente;
  • Cumprir com a oferta.

A partir desses passos, dá para criar um plano para consolidar a marca no mercado. Além de atrair novos clientes, também é preciso cuidar para manter aqueles que já fazem parte do portfólio.

1 – O que é interatividade?

Interatividade para o Marketing Digital tem como finalidade estimular o usuário a engajar com o conteúdo. Para isso, é preciso que o conteúdo apresentado seja envolvente, criativo ou desperte alguma emoção. 

Experiência do usuário 

Já esse fator tem relação à forma como o conteúdo se apresenta. Vale lembrar que hoje em dia a maior parte das pessoas acessam a Internet pelo celular. Assim, é preciso que a página se adapte a esse formato, para facilitar a navegação. 

Para gerar mais vendas, também é preciso encurtar o percurso do cliente. Desse modo, quanto menos cliques ele precisa dar até finalizar a compra, maior a chance de conversão. Por isso, pensar nesses detalhes pode fazer diferença nos resultados. 

Googlebot

O Googlebot é o mecanismo de busca utilizado pelo Google. Ao digitar um termo para pesquisa, ele rastreia os principais resultados e os classifica de acordo com a relevância. Aliás, ele tem versões diferentes para busca em computadores e celulares. 

Ao fazer a busca ele simula a experiência do usuário ao ler cada página. Logo, espera-se que seja a mais fácil possível. Assim, o critério da legibilidade de uma página é relevante na ordem dos resultados.

pessoa sentada usando o tablet com a página do Badoo aberta
Foto: Uma das estratégias de Marketing Digital é otimizar o conteúdo para que funcione em qualquer dispositivo. Imagem de Cottonbro no Pexels.

2 – Como analisar e mensurar suas estratégias de Marketing Digital? 

O primeiro passo para analisar se a estratégia de Marketing Digital foi eficiente é ter claros os objetivos. A partir disso, é preciso definir os principais indicadores que mostram se as metas foram atingidas. 

Principais métricas

Existem várias métricas, a depender do que se pretende avaliar. Por exemplo, para ver se o conteúdo teve boa recepção pelo público, pode-se analisar o número de visitantes. Além disso, outros itens importantes para os relatórios são:

  • Número de leads gerados;
  • Montante de vendas;
  • Taxa de cancelamentos;
  • Abertura de e-mail marketing.

O tipo de dado analisado vai depender de qual parte se pretende avaliar. Afinal, há métricas específicas para vendas, anúncios e conteúdos para meio de funil. Logo, vale segmentar cada uma e após avaliar de modo individual quais os pontos que demandam atenção.

3 – Como gerar mais oportunidades com o Marketing Digital?

O Marketing Digital é uma ótima forma de ampliar o alcance  de uma marca. Ao invés de ficar restrita à sua região, é possível chegar a um número muito maior de pessoas graças às mídias. 

Com a interação com o cliente também é possível obter ideias para aplicar ao produto. Assim, é um meio de ter uma relação mais próxima e gerar a confiança de quem compra. Com isso, se cria uma base fiel, e que ainda pode indicar a marca a terceiros.

Segmente seu público

Esse é um ponto importante para saber qual tipo de conteúdo direcionar, de acordo com a fase de cada cliente. Desse modo, para quem está no topo e meio do funil de vendas, é preciso focar em educar o cliente e mostrar porque o produto é útil.

Já para aqueles que já compraram, é o momento de manter a relação para que se tornem recorrentes. Assim, mantém uma base de clientes em constante crescimento e que geram lucros. 

4 – Como direcionar o público com o Marketing Digital?

Conhecer o público é parte essencial em uma estratégia de marketing. Com isso, é possível saber quais as mídias e a linguagem mais adequada para atingir o cliente ideal. Outro passo que ajuda nesse momento é ter uma persona bem definida. 

A partir desses dados, é possível entender quais as dores do público. Assim, dá para apresentar o produto que resolva essas questões e atenda aquilo que se espera.

Poupe tempo e dinheiro

Outro ponto favorável é que pode-se criar campanhas de marketing com melhor retorno. Afinal, são direcionadas a um perfil que está dentro das premissas da marca e tem maior potencial de conversão.

Aumente a produtividade do seu time

Com essa definição do público, o trabalho de todas as áreas fica mais simples. Isso porque, ajuda na criação de conteúdo, por exemplo, já que é possível saber as preferências do cliente. Também auxilia a equipe de vendas, uma vez que se obtém leads qualificados.

Quais as principais estratégias de Marketing Digital?

O Marketing Digital abrange várias formas de atingir o objetivo, que é ter uma presença forte nas mídias online. Dentre as formas de alcançar esse fim, as principais estratégias são:

  • Inbound Marketing;
  • Criação de conteúdo;
  • Criar um site ou blog;
  • Sites institucionais;
  • Redes sociais;
  • E-mail marketing;
  • SEM (links patrocinados e SEO).

Cada um desses recursos tem suas vantagens e podem ajudar de acordo com o objetivo de cada empresa. Por isso, é importante saber como funcionam e quando colocar em prática.

Saiba a necessidade da sua empresa

Para saber qual estratégia seguir é preciso ter bem definido qual objetivo quer atingir. Isso requer uma análise do momento de sua empresa, ou seja, se quer captar leads ou aumentar vendas, por exemplo. 

Em cada um dos casos, há um método que pode se encaixar melhor na ação. Vale pensar também nos custos que cada um deles envolve, para definir se é uma boa escolha. 

1 – O que é Inbound Marketing?

O Inbound marketing é o Marketing de Atração, ou seja, busca trazer o usuário para o seu site ou página. A partir daí, busca reter o potencial cliente e estabelecer um relacionamento duradouro. É a partir dele que a pessoa tem um primeiro contato com a marca. 

Seja encontrado pelas pessoas

Esse tipo de estratégia faz uso de diversos tipos de mídias para se tornar conhecido pelo público. Nesse sentido, alguns dos exemplos de plataformas que servem como canal para divulgar o conteúdo são:

Feita a abordagem inicial, é preciso ter mais a oferecer, para que haja uma relação duradoura. Desse modo, é comum investir em conteúdos que tornem mais fácil o dia a dia ou que tragam entretenimento.

Branding

O branding se relaciona à gestão da marca, e àquilo que ela representa. Além do visual, entram nesse conceito os valores e a identidade dela. Uma empresa sólida pode ser lembrada apenas por uma cor ou um elemento característico. 

mulher sentada com laptop no colo, acessando a página do Facebook
Foto: É preciso conhecer o público para poder direcionar as ações de Marketing Digital. Imagem de Foto de Kaboompics.com no Pexels.

2 – Como usar o Marketing de Conteúdo Visual?

O marketing de conteúdo visual cria conteúdo em diferentes formatos. Ao invés de manter textos muito longos, a informação pode ser apresentada de forma mais simples e atrativa. Isso facilita o consumo do conteúdo, ainda mais nas redes sociais. Alguns dos principais formatos são:

  • Imagens estáticas;
  • Vídeos;
  • Memes e gifs;
  • Infográficos.

O conteúdo visual tem a capacidade de traduzir sensações por meio de elementos ou cores. Por isso, ele pode ser combinado com a identidade visual da marca, para reforçar esse aspecto.

Produza com frequência e criatividade

As redes sociais são muito dinâmicas, ou seja, as tendências chegam e vão de modo muito rápido. Diante disso, é preciso estar atento ao que está em alta e manter um fluxo constante de publicações. 

Também é possível aproveitar assuntos do momento e adaptar para o seu conteúdo. Portanto, é preciso exercitar a criatividade para gerar algo atrativo para o público.

Traga solução para o seu cliente 

É essencial que o conteúdo agregue de alguma forma ao usuário. Uma das formas de fazer isso, é simplificar algo em sua rotina. Pode ser uma dica de cuidado com a pele, se a página fala sobre estética, por exemplo. 

3 – Como criar um blog e usar na sua estratégia de Marketing Digital

O blog é um espaço próprio, no qual é possível postar um conteúdo autoral. O processo de criação é simples, e segue alguns passos básicos que você deve conhecer. Por exemplo:

  • Escolha e registre um domínio, que é o nome da marca;
  • Use um CMS para gerenciar o conteúdo, bem como, criar o layout;
  • Contrate a hospedagem do endereço.

Ao se perguntar como criar um blog pense em um nome que seja simples e fácil de digitar. Isso facilita nas pesquisas e também na identificação pelo usuário. O registro é pago a cada ano e garante que outras pessoas não usem a mesma denominação.

Com relação às plataformas de CMS, existem muitas opções, tais como Wix, WordPress e Blogger. Cada uma traz recursos para facilitar o processo de criação e publicação. Já a hospedagem vai impactar no volume de dados que pode receber.

4 – O que é um site institucional?

Um site institucional é a apresentação de uma empresa e de seu portfólio de produtos ou serviços. O principal objetivo é dar visibilidade à marca e traz de forma clara as principais informações, como:

  • Endereço e contato;
  • Horário de atendimento;
  • Produtos ofertados. 

Em complemento, o site da empresa pode contar um pouco da história de como ela surgiu, Esses detalhes geram conexão com o cliente e ajudam a estabelecer uma relação de confiança.

Como criar um site para sua estratégia de Marketing Digital 

Para incluir o site na estratégia de Marketing Digital, é preciso ter atenção a alguns detalhes. O principal deles é manter os dados atualizados. Além disso, o layout deve ser adaptado para permitir o acesso por dispositivos móveis. 

É possível aproveitar esse espaço para publicar conteúdo de interesse do público. Também, dá para incluir o acesso às demais redes ou ainda um espaço com avaliações de clientes. 

Apresente o seu negócio

Um ponto essencial é fazer uma apresentação breve da empresa e as soluções que oferece. A depender do ramo, você também pode incluir informações sobre o modo de produção e origem dos materiais, por exemplo.

5 – O papel das redes sociais na estratégia de Marketing Digital

As redes sociais têm potencial para expandir a presença de uma marca. Por isso, são um dos pilares do Marketing Digital. Nesse meio, há muitas oportunidades de obter destaque, seja por meio de anúncios ou com conteúdos virais. 

Como definir uma estratégia 

Para saber em quais redes investir, bem como, o melhor formato, é preciso entender o perfil do cliente. Afinal, para o público mais jovem, o Instagram e TikTok são os principais canais, e permitem a criação de vídeos curtos. 

Já se a intenção for produzir um conteúdo mais extenso, é possível criar um canal no YouTube, por exemplo. Assim, cada uma das plataformas tem uma linguagem adequada.

SEO para LinkedIn

O LinkedIn é uma rede com viés mais profissional, mas ainda assim tem um bom campo para divulgar uma marca. Para alavancar o conteúdo, vale apostar em algumas dicas simples:

  • Usar palavras-chave, inclusive na descrição da empresa;
  • Otimize o texto da seção sobre, para torná-lo mais atrativo;
  • Atualize a página com frequência com novos conteúdos.

Com esses passos, é possível classificar bem o perfil da empresa nos principais motores de busca. Além disso, esteja ativo na plataforma, por meio da interação com os demais usuários e isso contribuirá para uma boa estratégia de SEO para LinkedIn.

laptop com a página do Facebook aberta
Foto: As redes sociais são um ótimo campo para as ações de Marketing Digital. Imagem de Tobias Dziuba no Pexels.

6 – Como usar o e-mail marketing na estratégia de Marketing Digital?

O e-mail marketing ainda é uma das principais estratégias para se relacionar com o cliente. Ele pode ser utilizado de diversas formas, conforme o objetivo que se busca, tais como:

  • Apresentação de conteúdo;
  • Envio de ofertas;
  • Remarketing, ou seja, buscar clientes que ainda não fecharam a compra.

Essa também é uma opção com menor custo se comparada a outros meios. Além disso, permite automatizar e obter relatórios completos com o retorno de cada campanha.

Use as melhores newsletters

Promover as melhores newsletters é uma boa estratégia no Marketing de Conteúdo. Elas podem servir como forma de manter o cliente atualizado sobre o que está em alta no nicho em que atua. Aliás, permite falar sobre temas diversos, desde dicas até novidades no mercado.

Evite o spam

Para que seus e-mails não sejam identificados como spam, é preciso tomar alguns cuidados. O principal é ter a autorização para envio das mensagens. Também deve constar a opção para a pessoa retirar seu cadastro da lista. 

É importante usar plataformas confiáveis, para evitar que os provedores bloqueiem o recebimento. Outro ponto é remover da lista de leads aqueles inativos, porque o envio para esses endereços é tido como spam.

7 – Para que serve o SEO em um plano de Marketing Digital?

O SEO é o Search Engine Optimization, ou seja, a otimização de mecanismos de buscas. De modo simples, é um conjunto de técnicas que visam colocar a página nas primeiras posições nas pesquisas.

Esse recurso é essencial no Marketing Digital, porque é uma das formas do cliente chegar até o seu produto. Por isso, além de criar conteúdo, é preciso que ele atenda a alguns requisitos.

Tipos de SEO

Existem quatro tipos mais comuns de SEO, que diferem no foco que se dá. O primeiro é o técnico, que tem relação com a estrutura do site. Assim, é possível incluir recursos para acelerar o carregamento, bem como, melhorar a experiência do usuário. 

Outra forma é o on page, que busca deixar o texto mais fácil de ler e usa palavras-chave para a busca. Já o off page está ligado aos links externos, que devem ter relação com o tema. Por fim, o SEO Local foca na localização geográfica, e é ideal para negócios físicos.

Técnicas de SEO

Para ter bons resultados, algumas técnicas são importantes. A principal delas é usar palavras-chave relevantes. Afinal, é por meio delas que seu texto será encontrado nas buscas.

Outro ponto é escrever o texto de modo objetivo, para que seja de fácil compreensão. Ainda, o conteúdo precisa ser relevante, porque um dos critérios para se posicionar bem é o tempo de permanência do visitante na página.

8 – O que é SEM e como usar no Marketing Digital?

Essa sigla significa Search Engine Marketing, ou na tradução marketing para mecanismos de busca. Sua função é otimizar uma página para que ela apareça no topo das pesquisas nos buscadores. Para isso, pode usar duas técnicas, que são:

A primeira opção ocorre de forma orgânica, ou seja, de modo natural pelo uso de recursos que facilitam a busca. Já a segunda acontece quando a empresa paga um valor para obter destaque entre os resultados. 

Essa é uma alternativa para quem busca resultados mais rápidos. Além disso, é possível começar com um investimento baixo e ainda segmentar o público para o qual vão os anúncios.

9 – Como se dá o uso da publicidade no Marketing Digital?

A publicidade é uma das ferramentas do Marketing Digital. Por meio dela, uma empresa pode promover um produto ou serviço. No meio virtual, isso pode ser feito de diversas formas, como por exemplo:

  • Imagens;
  • Vídeos curtos;
  • Anúncios pagos;
  • Webséries. 

Outra vantagem de usar a publicidade nesse meio é que ela se torna acessível mesmo para as pequenas empresas. Afinal, para criar anúncios que convertem para a TV é preciso ter uma verba alta. Já na Internet, as ferramentas de Ads permitem começar com valores mais baixos.

Principais tipos de mídias

As redes sociais são o principal meio de divulgação de produtos e promoção de conteúdo. Mas, é possível incluir anúncios em sites de grande movimento online. Nesse caso, o ideal é que o conteúdo apresentado tenha relação com o produto exposto.

10 – O que é Pay-per-click (PPC) no Marketing Digital?

Esse é um formato de cobrança quando se cria um anúncio pago online. Assim, em ferramentas como Google Ads, o usuário define alguns dados básicos para uma campanha, tais como:

  • Localização;
  • Perfil de usuários, como idade, sexo;
  • Interesses de pesquisa.

Com isso, os links patrocinados vão aparecer para aqueles que se encaixam no perfil desejado. A cobrança ocorre a cada vez que uma pessoa clica no link que o direciona para a página.

Tráfego orgânico

A alternativa para quem não quer gastar com anúncios é investir em tráfego orgânico. Esse é o modo natural pelo qual uma página aparece entre os principais resultados nas pesquisas.

Para que seja eficaz, é preciso combinar as estratégias de SEO, com um bom conteúdo. Embora leve um tempo maior para dar resultados, é o melhor meio para criar autoridade no digital.

11 – Como usar os display ads na sua estrutura de Marketing Digital?

Este formato usa imagens em banners em sites de grande circulação. Desse modo, tem um apelo mais visual e em geral ficam posicionados no topo da página. O custo vai depender do tamanho da mídia e do grau de exposição.

Rede de anúncios

A rede de display é um conjunto de sites parceiros da Google que permitem a veiculação desses anúncios. Assim, é possível escolher onde a mídia será exibida. O ideal é que haja uma relação entre o tema tratado na página e a oferta.

Google Ads

Por meio da plataforma do Google Ads, dá para criar uma campanha em poucos cliques. Basta definir o público-alvo, com base nos objetivos que pretende atingir. Após, é preciso fazer o upload do banner, que é ajustado de forma automática para caber no espaço. 

Feito isso, é o momento de definir o orçamento para a campanha. Nesse passo, é preciso levar em conta a margem de lucro que se espera obter para fixar o valor máximo do custo por clique.

12 – O que é Retargeting e como usar no Marketing Digital? 

O Retargeting consiste na instalação de um cookie em uma página. No momento em que um cliente acessar aquele endereço, ele capta os dados de acesso, ou seja, identifica aquela pessoa. 

A partir disso, é possível usar essas informações para direcionar anúncios a essa pessoa. Se ela acessou uma página de vendas, por exemplo, mas não fez a compra, pode-se direcionar uma oferta daquele item.

Diferença de Retargeting e Remarketing

Esses dois termos parecem sinônimos e têm algumas características em comum. Mas, a principal diferença é que o Remarketing visa engajar de novo os potenciais clientes. Para isso, tem como principal ferramenta as métricas de e-mail marketing.

13 – Como fazer promoção de conteúdo no seu plano de Marketing Digital?

A criação de conteúdo é uma das principais estratégias dentro do Marketing Digital. Afinal, ela busca consolidar a marca como referência no ramo. Nada melhor para isso do que demonstrar que tem domínio sobre o assunto. 

Conteúdo educacional

Uma das formas de colocar isso em prática é criar um conteúdo educativo, ou seja, que ensine algo novo ao usuário. Para isso, uma sugestão é explorar temas que fazem parte do universo do produto ou marca. 

A fabricante de maquiagens, por exemplo, pode explicar a importância dos cuidados com a pele. Afinal, esse é um elemento que faz parte do universo da beleza e ainda está ligada de forma direta ao resultado de seu produto.

14 – Como fazer anúncios que convertem em redes sociais?

Nas redes sociais, o ideal é prezar por anúncios curtos e objetivos. Assim, para chamar a atenção, use elementos gráficos e imagens atraentes. Vale evitar textos muito extensos, porque a visualização é muito rápida.

Outro ponto para ter atenção é adotar a linguagem correta para o seu perfil de cliente. Também é importante usar as ferramentas para segmentar o público. Com isso, o anúncio vai aparecer para quem tem interesse naquele produto.

Acompanhe a performance dos anúncios

Nas plataformas de anúncios há relatórios bem detalhados sobre as campanhas. Desse modo, é possível ver qual teve melhor retorno para voltar a investir no formato. Fazer testes é essencial para entender qual o formato mais adequado para cada mídia.

Tamanhos de imagens para Redes Sociais

Cada canal tem um formato padrão nas fotos e vídeos. Saber dos tamanhos de imagens para redes sociais é importante para ajustar o design do anúncio, a fim de que não saia cortado. Então, confira os principais:

  • Instagram: para o feed, as medidas de 1080×1080 e nos stories 1080×1920;
  • No Facebook, segue a mesma proporção, mas os vídeos são em 1920×1080 pixels;
  • Para o Youtube, a imagem de capa pode chegar a 2560 x 1440.

Tais medidas são as máximas, porém o ideal é que a informação fique mais centralizada. Assim, fica mais fácil a visualização ao deixar uma borda livre ao redor do texto se houver.

15 – Como funciona o Marketing de Afiliados?

O marketing de afiliados é uma modalidade que consiste em terceirizar a divulgação de um produto. Nesse sentido, uma empresa cadastra pessoas que ficarão responsáveis por tentar converter vendas. Com isso, ela pode reduzir os seus gastos com o marketing.

Já para o afiliado, essa pode ser uma opção vantajosa, porque ele não precisa se preocupar com a produção. Seu papel se limita a fazer publicidade para a venda. Todo o trâmite posterior cabe ao dono da marca.

Pagamento via comissão

Em troca desse trabalho, o afiliado recebe um percentual sobre o valor do produto a cada venda realizada. O valor da comissão varia de acordo com o item. Para ampliar os seus ganhos, ele deve ter uma boa noção de Marketing Digital.

Para poder obter um lucro, o valor recebido tem que ser superior ao que gastou para promover o item. Por isso, é preciso que ele saiba criar anúncios com alta taxa de conversão, e menor custo.

Divulgue produtos ou serviços

Esse formato é muito comum e serve para produtos físicos, digitais ou até mesmo serviços. Inclusive, muitas lojas online permitem que pessoas se associem e criem uma loja própria dentro de seus marketplaces. 

mulher trabalhando sentada em seu laptop e celular, tudo ao mesmo tempo
Foto: A publicidade online é uma das estratégias de Marketing Digital. Imagem de Foto de Karolina Grabowska no Pexels.

16 – Como fazer a gestão de leads no Marketing Digital?

Para fazer essa gestão o ideal é ter um software no qual possa organizar a base com todos os detalhes. Isso também ajuda na hora de segmentar e analisar em que fase o potencial cliente se encontra. 

Etapas do processo

A gestão de leads passa por quatro fases básicas, que são: captação, qualificação, nutrição e conversão. O primeiro passo é conseguir obter o contato, o que é possível com uma landing page, por exemplo. 

Uma vez que se tenha o lead é hora de ver se ele está dentro do perfil, bem como, qual o seu nível de consciência sobre o produto. Na fase da nutrição, se estreita o relacionamento. Por fim, quando ele está pronto para a compra é o momento de enviar a oferta.

17 – O que é Automação de Marketing na sua estratégia digital?

A automação consiste em usar a tecnologia para substituir funções manuais. Com isso, se ganha tempo para executar ações repetitivas, com maior grau de precisão. Assim, a equipe pode se dedicar às tarefas mais complexas como criação e vendas.

Principais ferramentas

Entre os recursos disponíveis para o Marketing Digital estão ferramentas que fazem a análise automática dos leads. Além disso, outras opções comuns no dia a dia de quem trabalha no ramo são:

  • Programação de publicações em redes sociais;
  • Análises para otimização de sites;
  • Plataformas de e-mail marketing;
  • Respostas automáticas em chats.

Com essas facilidades, o processo se torna mais rápido. Conforme a empresa cresce, é preciso implantar alguns desses recursos, para poder atender de forma rápida o cliente.

Lifetime Value

Esse conceito indica o retorno que se espera obter com o ciclo de um cliente. Para que ele seja maior, é preciso reter o consumidor ativo. Desse modo, se houve um custo para obter o lead, o Lifetime Value dele precisa ficar positivo. 

18 – Como fazer a otimização de conversão no seu plano de Marketing Digital?

A otimização de conversão visa aumentar os resultados, sem que haja um custo maior. Para isso, se pauta em algumas ações simples que podem direcionar as mudanças:

  • Análise de dados;
  • Realização de testes;
  • Melhoria contínua.

A partir desses itens, é possível fazer ajustes até que se chegue a um resultado ideal. Por vezes, algumas mudanças mínimas, como dar evidência a um botão, podem fazer uma grande diferença.

5 fases do processo

Esse processo deve ser feito de forma organizada, porque assim é possível mensurar os resultados de forma precisa. Por isso, é comum segmentar em cinco fases principais:

  1. Pesquisa, a partir dos dados para identificar os pontos de melhoria;
  2. Hipótese, que consiste em compreender os motivos e as formas de aprimorar;
  3. Priorização, fase na qual se escolhe qual modelo seguir;
  4. Teste, ou seja, colocar em prática a hipótese;
  5. Por fim, o aprendizado, em que se analisa os resultados.

Como se vê, só ao colocar em teste uma ideia é possível validar se ela será eficaz. Esse método evita que se tenha grandes prejuízos, uma vez que usa um campo de análise reduzido.

19 – Áudio marketing e podcasts como estratégia de Marketing Digital

O conteúdo em áudio, tão comum desde a época do rádio, ganhou novos formatos. Assim, hoje em dia é possível encontrar podcasts, por exemplo, sobre diversos assuntos, tais como:

  • Política;
  • Entretenimento;
  • Horóscopo;
  • Saúde e beleza;
  • Notícias. 

Esse formato facilita muito o dia a dia, porque é possível ouvir no carro ou em momentos livres. Por isso, esse é um ramo propício para aplicar estratégias de áudio marketing. Isso pode ocorrer tanto ao criar conteúdo próprio como por meio de anúncios que de fato convertem.

20 – Quais as principais ferramentas e apps do Marketing Digital 

Para auxiliar na execução das estratégias de Marketing, existem várias ferramentas de automação. Algumas delas são gratuitas, enquanto outras têm a versão paga, mas ainda por preço acessível. Entre os principais exemplos estão:

  • CRM para fazer a gestão de leads;
  • Google Trends, para analisar os assuntos em alta;
  • WordPress, que é um tipo de CMS para gestão de páginas web.

Para cada área é possível encontrar opções para otimizar e agilizar os processos. É o que ocorre com o e-mail marketing, por meio de ferramentas de automatização de envio.

Notificações push

As notificações push são um tipo de recurso que pode ser incorporado a um site para emitir lembretes ao usuário. Desse modo, ao navegar por uma página, ele pode receber um pop up na tela sobre uma oferta. Também pode indicar o link para se cadastrar e receber um e-book, por exemplo.

Chatbots

Os chatbots são automações para dar uma resposta mais rápida ao cliente. Ainda assim, eles trazem um nível de inteligência artificial para simular uma conversa real. Ele consegue oferecer respostas a questões simples, que não demandam um atendente físico.

imagem de duas pessoas sentadas analisando gráficos em um laptop e um tablet
Foto: Ferramentas de automação no Marketing Digital ajudam a otimizar a rotina. Imagem de Foto de AlphaTradeZone no Pexels.

Como criar um plano de Marketing Digital?

Para fazer um plano eficaz de Marketing Digital é preciso definir os objetivos que se visa alcançar. Ou seja, é preciso saber se deseja captar mais leads, fechar mais vendas ou melhorar a experiência do cliente.

A partir desse ponto, é possível escolher quais as ferramentas para poder alcançar as metas. Aliás, em qualquer dos casos, é ideal ter um meio para análise dos dados e fazer a comparação posterior.

Diferentes ações possíveis

Entre as formas para atingir os objetivos definidos há muitos recursos disponíveis. Assim, pode-se fazer uso de anúncios pagos, otimização de SEO, entre outras formas de alcançar melhores resultados.

1 – Defina os objetivos da sua estratégia de Marketing

Os objetivos finais em um plano de Marketing devem estar bem definidos. Eles podem se relacionar a diversos pontos do atendimento, para direcionar o trabalho em cada uma das frentes, como por exemplo:

  • Gerar mais visitas na página;
  • Aumentar as vendas;
  • Ter mais interação com o público.

Feito isso, é preciso desenhar quais as ações necessárias para conseguir atingir esses objetivos. Além disso, é preciso alinhar com a equipe responsável a fim de engajar todos nesse plano.

Metas SMART

Uma forma de definir um foco é por meio das metas SMART. Esse conceito estabelece alguns critérios para que os objetivos definidos sejam possíveis de serem alcançados. Nesse sentido, elas devem ser:

  • Específicas, ou seja, definir de forma clara o que se espera;
  • Mensurável, que permita ser medida;
  • Atingível, isso quer dizer que não pode ser absurda ou impossível;
  • Realista, que faça sentido para o contexto da empresa;
  • Temporal, com uma definição de tempo para atingir.

Com essa técnica fica mais fácil mensurar e fixar os objetivos. Uma sugestão, é dividir em pequenas metas, para acompanhar a evolução ao longo do tempo. Logo, se for preciso, deve fazer ajustes.

2 – Crie indicadores para a sua estratégia

Outro ponto importante para acompanhar como anda a estratégia de Marketing é criar indicadores. Eles são dados que podem indicar se as medidas implantadas tiveram o retorno esperado.

Com isso, dá para criar gráficos e apresentar de maneira visual os resultados de uma campanha. Ainda, eles são essenciais para ver quais os pontos que demandam maior atenção no fluxo.

O que são KPIs

Esse termo denomina os indicadores criados a partir das métricas. Ou seja, eles convertem os dados obtidos e os traduzem para mostrar a taxa de conversão do negócio. Alguns exemplos de KPIs no Marketing Digital são:

  • Taxa de conversão;
  • Número de leads captados;
  • Tempo de permanência do visitante na página;
  • Compartilhamentos de conteúdo.

Esses registros são muito importantes para verificar se a estratégia foi eficaz. Também, são uma forma de avaliar o trabalho da equipe que coordenou o projeto. Por isso, são informações que sempre constam em relatórios gerenciais.

3 – Como detalhar a sua persona?

A criação da persona deve conter o maior nível de detalhe possível. Assim, além de idade, nome, sexo e profissão, pode-se ir além. É possível pensar como é a rotina daquele personagem, se trabalha muito e se gosta de esportes, por exemplo. 

Esse exercício de criação ajuda a entender quais os desafios e o que pesa na decisão de compra. A partir disso, dá para adotar a comunicação de forma mais pessoal e assim gerar mais conexão com o público.

Faça uma análise

Muito embora a persona não seja o mesmo que público-alvo, esse conceito pode ajudar a definir o avatar. Afinal, a ideia é delimitar o cliente ideal. Logo, a melhor forma de fazer isso é a partir de dados reais e incluir os demais detalhes.

O que são métricas de Marketing Digital?

As métricas são um conjunto de informações que permitem analisar o sucesso de uma campanha. Para cada tipo de estratégia, é possível definir quais os índices a serem analisados e comparados.

Mensuração é essencial

Essa análise é muito importante, uma vez que é a partir dela que se pode implantar mudanças. Assim, deve-se observar os dados antes de criar uma estratégia, bem como, ao longo de sua execução.

Google Analytics

Esse é um recurso gratuito da Google, que permite integrar outras ferramentas, como o Google Ads. Seu uso serve para monitorar e automatizar relatórios para análise de sites. Ele retorna com dados completos, em formatos gráficos fáceis de visualizar. 

A partir disso, dá para obter muitas ideias de como melhorar os resultados. Ao verificar que há uma taxa alta de saída da página, por exemplo, pode focar em trabalhar melhor o texto. Assim, vai conseguir reter o usuário por mais tempo.

pessoas sentadas trabalhando em seus respectivos desktops
Foto: A análise das métricas ajuda a medir o sucesso de uma campanha de Marketing Digital. Imagem de Foto de Mikael Blomkvist no Pexels.

1 – O que é ROI ou retorno sobre o investimento no Marketing Digital? 

Esse é um dos principais indicadores de desempenho para o Marketing Digital. Por meio dele, é possível saber se um investimento foi rentável ou não. O cálculo desse índice é bem simples e segue a fórmula:

  • Receita – investimento;
  • Divisão pelo retorno;
  • Multiplicação por 100.

Um exemplo prático é avaliar uma campanha de tráfego, por exemplo, com foco em vendas. Suponha que o valor gasto foi de R$ 500, mas foram vendidas apenas duas peças, no total de R$ 750, o ROI foi de 33%. 

Fique atento ao orçamento da sua empresa

Ao criar uma campanha defina um limite de gastos, bem como, o retorno esperado. Caso ao analisar a evolução, não se veja resultado, vale rever a estratégia. Afinal, é preciso priorizar aquelas que oferecem um ROI maior. 

Para isso, uma opção é fazer testes com valores menores e passar a investir naquelas frentes que têm melhor desempenho. Com isso, reduz o custo e aumenta o retorno final.

2 – O que é CAC e como usar na estratégia de Marketing Digital?

A sigla significa Custo de Aquisição de Cliente e indica a razão entre o gasto em Marketing e o número de novos consumidores. Nessa conta entram todos os gastos envolvidos na atração e atendimento, tais como:

  • Salários e comissões;
  • Gastos com mídias e anúncios;
  • Uso de plataformas pagas;
  • Telefonia, internet e viagens;
  • Material publicitário.

Esse indicador é muito importante, porque reflete a saúde financeira da empresa. O ideal é que seja calculado mês a mês para acompanhar as variações. No entanto, é normal que ao investir em pessoal, por exemplo, ele suba em um período. 

A tendência, no entanto, é que volte a se estabilizar. Quando ele fica muito alto, é hora de ter atenção para melhorias. Assim, a redução de gastos ou o treinamento da equipe para ampliar as vendas, têm impacto sobre ele.

3 – Como usar a Receita Mensal Recorrente (MRR) no Marketing Digital?

Esse termo, MRR, é mais comum em empresas com serviços por assinatura. Isso porque, há uma expectativa mensal de entradas, de acordo com o número de clientes e vigência dos contratos. 

Por outro lado, é preciso considerar as entradas e saídas de usuários dentro do período. Além disso, também há o fator da inadimplência, mesmo quando se usa pagamento via cartão. Por isso, o ideal é buscar formas de ampliar essa receita.

Identifique o padrão da sua empresa

Para criar uma estratégia, é preciso conhecer o perfil da empresa e dos clientes. Uma opção é oferecer diferentes tipos de assinatura, com preço maior de acordo com o nível de recursos. 

Outro ponto, é evitar liberar planos gratuitos ilimitados. Ao invés disso, ofereça a experiência por um tempo limitado, porque poderá levar o cliente a assinar o serviço. 

4 – O que é custo de aquisição de clientes?

Esse índice faz a relação entre tudo aquilo que a empresa gasta com Marketing e vendas e o número de clientes novos. Ou seja, se investe em um mês R$ 5 mil nesses itens, e obtém 100 novos consumidores, o CAC fica em R$ 50.

Compare com o CPA para um número mais realista

O CPA, por sua vez, é o Custo por Aquisição, que mensura a média de gastos para cada venda. Desse modo, esse índice pode ser analisado em conjunto com o CAC para um panorama mais completo. 

Um mesmo cliente pode efetuar mais de uma compra, por exemplo. Assim, apesar de ficar mantido o CAC, o resultado do CPA seria mais favorável nesse caso, pela recorrência.

CPM, CPC e CPA

O CPM significa Custo por Mil e é um conceito utilizado em campanhas com foco em visualizações. Nesse sentido, o anunciante paga um valor fixo a cada 1000 exibições de seu conteúdo.

Esse recurso é mais comum quando se quer aumentar o alcance, uma vez que não leva em conta o engajamento. Enfim, todos esses parâmetros servem para medir a eficiência das estratégias de Marketing implementadas.

5 – Como usar o custo por lead na sua estratégia de marketing?

Os leads são um dos principais ativos para o Marketing Digital. Afinal, são os potenciais clientes, com maiores chances de gerar a conversão em vendas. Mas, para obtê-los, há alguns custos envolvidos, tais como:

  • Anúncios pagos para direcionar à landing page;
  • Plataforma de gestão de leads;
  • Custos com pessoal, bem como, criação de conteúdo.

O CPL é o resultado entre o valor total gasto e o número de leads obtidos. Para reduzir esse valor, é preciso investir em alternativas, como o tráfego orgânico e a relação com o público. Assim, os contatos chegam a um custo bem menor.

Custo por clique

Esse é outro indicador que pode refletir no custo por lead. Isso porque, ao usar anúncios pagos, a cobrança ocorre a cada clique. Então, quando essas campanhas visam captar novos potenciais clientes, esse valor entra na conta do CPL.

homem negro, com blusa social listrada, sentado mexendo no celular
Foto: Manter a relação com o cliente é um dos desafios do Marketing Digital, para que ele volte a comprar. Imagem de Anastasia Shuraeva no Pexels.

6 – Qual a importância da taxa de Retenção e Churn Rate no Marketing Digital?

A Churn Rate é a taxa de rotatividade dos clientes de uma empresa. Ou seja, ela representa aqueles que deixaram de consumir um produto ou cancelaram uma assinatura. Por isso, implica em uma perda, uma vez que houve um custo para atrair o lead.

Esse conceito tem uma relação direta com a Taxa de Retenção. Essa é a forma de calcular a recorrência de um cliente em adquirir com a mesma empresa. Para que ela seja maior, o principal fator é o atendimento de qualidade.

Crie formas alternativas de retenção

Para que o consumidor volte a comprar da mesma marca, alguns pontos são essenciais. Então, veja algumas boas sugestões de como reter os clientes dentro do seu negócio:

  • Invista na experiência desde a compra até o pós-venda;
  • Cumpra a oferta;
  • Faça o overdelivery, ou seja, entregue mais do que o esperado;
  • Peça feedbacks para identificar pontos de melhoria.

Outro ponto que demanda atenção é a qualificação da equipe. É preciso que ao atender o cliente os colaboradores demonstrem que conhecem a solução. Além disso, é essencial manter a equipe motivada para ter resultados melhores.

7 – Como calcular o tráfego por canal e novas sessões?

O Google Analytics tem opções completas de relatórios que permitem visualizar o tráfego em uma página. Ele ainda segmenta o que é de origem orgânica ou de anúncios, bem como, o tempo de permanência na página.

Por meio dessa ferramenta também é possível saber o número de sessões, ou seja, páginas dentro do site que o usuário acessou. Isso dá uma boa noção sobre a qualidade das publicações.

Conteúdo atrativo

Uma das principais formas de se destacar no Marketing Digital é por meio de um conteúdo que atraia o público. Por isso, ao analisar os relatórios, dá para ver quais os pontos a melhorar. 

Para aumentar a retenção e manter o leitor em sua página, por exemplo, é possível investir em um conteúdo mais profundo. Outra forma é inserir backlinks no texto que remetam a outras publicações relacionadas.

Como trabalhar com Marketing Digital?

Para se inserir nesse mercado é preciso ter um perfil curioso e estar sempre atualizado. Embora muitas empresas ainda exijam uma formação acadêmica na área, para quem trabalha de forma autônoma, pode aprender por outros meios, como:

  • Cursos de curta duração;
  • Livros técnicos;
  • Palestras e workshops.

Grandes nomes do mercado, inclusive, sequer tem formação na área. O mais importante, é apresentar resultados expressivos. Para isso, é preciso estudar bastante sobre a área, mesmo que fora da faculdade.

Como fazer Marketing Digital para empresas?

Ao realizar um trabalho de Marketing Digital para uma empresa é preciso entender sobre o negócio e o público-alvo. Desse modo, é possível desenhar uma estratégia adequada àquilo que o cliente precisa no momento.

Também é importante que o profissional respeite os valores da empresa. Por isso, busque entender como surgiu, bem como, quais os elementos que a identificam perante a sua audiência.

Um tipo de marketing para cada porte de empresa

O planejamento deve levar em conta ainda o porte da empresa. Afinal, um pequeno negócio não possui os mesmos recursos e base de clientes de um grande. Por isso, o profissional de Marketing precisa se adaptar a cada contexto.

Account-Based Marketing

Essa é uma estratégia de captação de clientes para quem trabalha no ramo. Em resumo, a account-based marketing é feita uma busca de empresas que tenham o perfil desejado. A partir disso, segue-se a pesquisa para criar uma campanha que atinja esses perfis. 

Com isso, a captação é feita de forma mais assertiva. Ao invés do cliente descobrir o seu serviços, faz-se o caminho inverso. Ou seja, o profissional escolhe quem quer atender e, então, direciona os esforços para se conectar.

Quais os principais cursos de Marketing Digital?

Para quem busca se especializar na área, existem muitas opções de cursos. Entre as opções, há cargas horárias a partir de quatro horas até os mais completos, com meses de duração. Aliás, algumas plataformas oferecem opções gratuitas, dentre elas:

  • HubSpot;
  • Udemy.

Entre as versões pagas, se destaca o curso da Nova Escola de Marketing, que conta com mais de 100 horas de conteúdo. As aulas são ministradas por Rafael Rez e Mauricio Zane e o aluno ganha um certificado ao final.

Quais os melhores livros de Marketing Digital?

Há muitas opções de livros de Marketing Digital, tanto de autores nacionais como estrangeiros. Nesse sentido, confira a seguir algumas sugestões de títulos que valem a pena ler:

  • Marketing 4.0, de Philip Kotler;
  • Isso é Marketing, de Seth Godin;
  • Nocaute, escrito por Gary Vaynerchuck;
  • Ideias que colam, de Chip Heath e Dan Heath;
  • Marketing de Conteúdo, um título nacional, de Rafael Rez.

Os autores estão entre as principais referências do ramo. Cada um deles traz uma visão diferente, que pode servir para ter novas ideias sobre a forma de criar conteúdo educacional online.

Conhecimento nunca é demais

Nesse ramo, em que tudo muda muito rápido, é preciso sempre estar em busca de algo novo. Ainda que o conteúdo não possa ser aplicado naquele momento, poderá servir para solucionar problemas no futuro.

Quais as principais ferramentas de Marketing Digital?

Entre as principais ferramentas de Marketing Digital estão aquelas para análise de desempenho, como o Google Analytics. Além disso, outras opções que podem otimizar o tempo nas tarefas diárias são:

  • MailChimp, para envio de e-mail marketing;
  • Trello, utilizado para organizar e acompanhar as tarefas em um projeto;
  • Canva, que serve para criação de designs para redes sociais e anúncios;
  • Wix e WordPress, para criar sites de forma rápida;
  • Postgrain, que faz a automação de postagens no Instagram.

Outra ferramenta muito útil é o planejador de palavras-chave do Google. Com ele, é possível rastrear os termos mais buscados. Assim, ao criar um conteúdo que contenha esses itens, têm maior chance de obter destaque nas pesquisas.

Veja quais se adequam ao seu negócio

De acordo com o ramo do negócio e o objetivo que se visa alcançar, é possível buscar soluções mais adequadas. Por isso, o primeiro passo é definir as metas e quais as ações necessárias. 

A partir disso, dá para buscar ferramentas que possam automatizar parte do processo. Desse modo, ganha-se tempo e a empresa pode focar em outras áreas, como a criação e o atendimento.

O seu negócio investe em Marketing Digital?

Caso ainda não use uma estratégia de Marketing Digital para o seu negócio, saiba que esse é um campo muito promissor. Afinal, as pessoas passam boa parte do dia conectadas às redes sociais. 

Estar presente nesse meio, portanto, é uma necessidade para quem busca vender mais. Isso porque, em qualquer compra, o consumidor busca informações sobre o produto ou a marca online. Caso ele não encontre a sua empresa, vai adquirir de um concorrente.

Uma oportunidade para todos os tamanhos de negócio

O meio digital tornou possível para empresas pequenas ganharem destaque. Assim, com a estratégia correta, é possível crescer e alcançar pessoas além das fronteiras físicas do seu negócio. 

É essencial entender como funcionam as principais ferramentas e começar a pôr em prática. Além disso, o ideal é fazer testes, você pode aprender com os erros e corrigir as campanhas para ter mais resultados.

Seja o primeiro a ser notificado, sempre que um novo artigo ser publicado

Deixe uma resposta

Usamos cookies para melhorar sua experiência neste site. Ao continuar no site, você concorda com essas condições. Sim Mais detalhes