Tudo sobre Marketing e Empreendedorismo

Quais são as 5 forças de Porter e como elas impactam o seu negócio?

As 5 forças de Porter são um modelo de análise estratégica que serve para identificar a competitividade de uma empresa no mercado. Dessa maneira, podem ser usadas por negócios de grande, médio e pequeno porte.

O método é aplicado também a diversos tipos de empresas como companhias aéreas, agências de Marketing Digital e produtoras de tecnologia. Portanto, conheça essa ferramenta e saiba como aplicá-la ao seu negócio.

O que são as 5 forças de Porter?

Constituem um modelo de análise de negócios de Porter publicado em 1979. O artigo do professor Michael Porter foi inovador, pois foi o primeiro a observar as forças que afetam a competitividade de uma empresa para além de seus concorrentes diretos. 

As 5 forças de Porter  são, portanto, os pilares do funcionamento de um negócio. Assim, caso algum deles se altere, a firma também precisa rever a sua estratégia. Essa também é uma ferramenta que tem função complementar à matriz SWOT. 

A partir desse conhecimento, as empresas conseguem traçar estratégias para defender-se ou usá-las. Outro ponto destacado pela tese de Porter é que os negócios precisam se concentrar no microambiente em que atuam, o qual considera:

  • Compradores;
  • Fornecedores;
  • Concorrentes;
  • Produtos substitutos.

Eles são os agentes das 5 forças de Porter e influenciam na competitividade da empresa quando estão em desequilíbrio. De fato, o equilíbrio é muito raro no mercado, logo, gestores precisam saber como agir diante da mudança dessas forças.

5 forças de Porter x nível de competitividade de um setor

As 5 forças de Porter afetam o sucesso e o lucro de uma empresa em conjunto. Por exemplo, a perda do principal fornecedor ou do comprador causará danos ao negócio. Assim como a entrada de uma marca mais inovadora pode tomar o espaço de outra mais tradicional no mercado.

Quando um gestor entende quais são essas forças que afetam o desempenho interno da empresa, ele pode criar um planejamento estratégico mais assertivo. Dessa forma, conseguirá agir diante das alterações.

Por que usar o modelo de Porter?

Usar o modelo das 5 forças de Porter é importante para que as empresas tenham uma visão mais ampla sobre o setor do mercado em que atuam. Além disso, elas poderão observar qual é a posição que ocupam nesse cenário e criar projeções para o futuro. Em síntese, alguns motivos para usar essa ferramenta de análise são:

  • Definir uma estratégia competitiva;
  • Conhecer as forças rivais para além dos concorrentes diretos;
  • Saber como se defender ou usar as forças ao seu favor;
  • Identificar oportunidades de inovação.

Com isso, a equipe de gestão pode realizar um planejamento estratégico e um plano de marketing mais bem situado em seu contexto. Assim como têm a oportunidade de corrigir possíveis ameaças ao sucesso do negócio.

Rivalidade entre empresa e seus concorrentes

A rivalidade é um dos principais pontos lembrados quando se fala em análise de mercado. No entanto, com o modelo de Porter, foi possível ter um novo olhar sobre essa questão. Afinal, foi ele quem propôs que empresas de segmentos distintos pudessem se tornar rivais em um negócio.

Quais são as 5 forças de Porter?

As 5 forças de Porter se referem a fornecedores, compradores e concorrentes. Dessa maneira, a teoria aponta como cada um deles pode influenciar em uma empresa. Dessa maneira, entenda cada um a seguir.

A rivalidade entre concorrentes

O conflito entre concorrentes está ligado à disputa por um setor no mercado. Assim, quanto maior o número de empresas, maior será a rivalidade e a tentativa de diferenciação. Com esse objetivo, as principais característica da competição são:

  • Margens de lucro reduzidas;
  • Busca por novos clientes;
  • Tentativa de reduzir gastos.

Em especial quando os produtos ou serviços são muito semelhantes, é mais difícil se destacar. Por isso, nessa situação, é comum ocorrer uma competição por meio da diferenciação de preços segundo as 5 forças de Porter. Além disso, outros fatores são as taxas de crescimento do setor e entraves para a saída de produtos.

pessoas sentadas em uma mesa, conversando e trabalhando
As 5 forças de Porter devem estar no planejamento estratégico da empresa. Imagem de fauxels em Pexels

Poder de barganha dos fornecedores faz parte das 5 forças de Porter?

Os fornecedores têm um papel variável de acordo com a sua importância para o comprador. Por exemplo, para grandes redes de supermercado, o fornecedor não é uma força muito considerável, porque vários outros poderiam substituí-lo. Além disso, a rede conta com diversos outros produtores para fornecer mercadorias.

Caso o fornecedor seja o principal do negócio, ele tem um maior poder de negociação. Assim, pode definir os prazos, preços e até reduzir a qualidade de seus produtos para diminuir valores.

Outros perigos que o comprador enfrenta são a ameaça de integração ou mudar de fornecedor gera muitos custos. Além disso, quando eles não têm concorrentes fortes, o seu poder de negociação aumenta.

O poder de barganha dos compradores

O poder de negociação dos compradores é uma das 5 forças de Porter. Por exemplo, quando há grande oferta de um produto no mercado, os clientes têm diversas opções de escolha. Assim, podem influenciar os vendedores a baixarem seus preços. Mas, a situação se inverte quando há baixa oferta, logo, as empresas têm um poder de negociação maior.

Ainda, os compradores podem ter mais chances de negociar em diversas situações, uma delas é quando fazem compras em grandes volumes e os produtos são padronizados. Além disso, esses objetos não o auxiliam na economia ou não são importantes para a qualidade do que produzem.

A ameaça de novos entrantes é uma das 5 forças de Porter?

Saiba que, antes de tudo, para avaliar a influência dessa força, é preciso considerar quais são as barreiras de entrada em um determinado setor do mercado. Por exemplo, as companhias aéreas são o tipo de empresa que demora a surgir, não é à toa que as mais conhecidas já atuam há anos. Portanto, uma das principais dificuldades de entrada para quem deseja ter um negócio nesse ramo são os investimentos.

Para setores do mercado que não exigem altos investimentos, de modo geral, pode-se dizer que as barreiras de entrada são poucas. Assim, a tendência é que haja maior competitividade. 

Ameaça de produtos ou serviços substitutos

As 5 forças de Porter também consideram os produtos ou serviços, que não necessariamente são do mesmo mercado, que podem tomar o seu lugar. Isso ocorre quando há várias opções para o que o seu negócio oferece. Um exemplo simples é o uso de câmeras fotográficas, o qual perdeu muito espaço após a melhora da qualidade das câmeras de celular.

Nesse caso, observa-se que não se trata de produtos de concorrentes diretos. No entanto, como um smartphone pode tirar uma foto rapidamente e realizar outras funções, ganhou mais espaço. Diante dessa força, muitas empresas precisam investir em inovação.

Os complementadores

A força dos complementadores não está no texto sobre as 5 forças de Porter. Ela foi adicionada ao modelo de análise em 1990, por Barry Nalebuff e Adam Brandenburger. Os complementadores são as empresas que vendem produtos juntos ou que de alguma maneira beneficiam um setor. Dessa forma, a parceria aumenta a competitividade do negócio. 

Como aplicar as 5 forças de Porter?

Entender as 5 forças de Porter é importante tanto para empresas que atuam no setor de varejo quanto para os que vendem serviços. Isso porque, permite ter uma visão do microambiente do mercado e saber quais são as ameaças e oportunidades para o negócio. Aliás, isso se relaciona com a ferramenta de análise SWOT.

Ao realizar a análise das forças e fraquezas da sua empresa, é possível definir de forma estratégica o posicionamento da marca no mercado. Além disso, é algo que contribui para o planejamento de metas e objetivos do negócio. Por último, também é uma ferramenta útil tanto para empresas já atuantes quanto para as que ainda se lançarão no mercado.

A importância das pesquisas de mercado

Produto, promoção, preço e praça são conhecidos como os 4Ps do Marketing. Na verdade, eles também são essenciais para realizar as pesquisas de mercado para a sua empresa. De fato, a identificação das 5 forças de Porter precisa de dados concretos, por esse motivo, os passos para realizar a sua avaliação são:

  • Objetivo da pesquisa;
  • Público-alvo;
  • Amostra;
  • Criação de um questionário;
  • Aplicação do questionário;
  • Estudo dos resultados.

Não conhecer esses dados pode ser muito prejudicial para a competitividade do negócio. Afinal, a comunicação, o produto ou serviço e o seu preço podem estar muito abaixo ou acima do que o seu mercado utiliza. Portanto, a rivalidade pode aumentar e um dos concorrentes se tornará obsoleto em algum momento.

Vale lembrar que as cinco forças de Porter devem ser consideradas não apenas diante dos concorrentes. Como você viu, existem outros quatro agentes que podem favorecer ou prejudicar o desempenho do seu negócio.

mesa com vários relatórios e gráficos espalhados
As 5 forças de Porter precisam de dados da pesquisa de mercado. Imagem de Anna Nekrashevich em Pexels

5 forças de Porter impactam no plano de marketing?

Na verdade, elas devem ser incluídas na etapa de planejamento, a fim de tornar a sua estratégia mais assertiva. Afinal, é por meio da avaliação das forças que se pode indicar os aspectos positivos e negativos da sua empresa.

Como definir uma estratégia competitiva com as 5 forças de Porter?

De acordo com a teoria das 5 forças de Porter, pode-se optar por três caminhos para definir uma estratégia competitiva. Assim, é preciso conhecê-las para saber como se destacar e ter uma tática bem-sucedida. 

O que é a liderança em custo?

A liderança de custo consiste em reduzir o preço para o cliente final o máximo possível. Assim, a margem de lucro se torna um pouco menor, porém, há um aumento de vendas e faturamento.

Para ofertar os melhores preços, entretanto, a empresa precisa ter um considerável poder de negociação com seus fornecedores para reduzirem os valores de sua mercadoria. Além disso, caso precise de um processo de produção, será necessário otimizar os seus gastos nesta etapa também. 

Nesse cenário, conhecer a ferramenta de estratégia de Porter é importante para saber se reduzir os custos seria uma solução viável desde o começo. 

Diferenciação segundo as forças de Porter

A diferenciação, por sua vez, consiste em oferecer um produto ou serviço que se destaque entre os possíveis substitutos. Assim, em vez de recorrer apenas à diferença de preço, a qual nem sempre é favorável, é possível incluir características especiais ao produto.

Nesse caso, pode-se usar preços variáveis de acordo com o que o seu público-alvo pode pagar. Isso porque, o foco principal deve ser a apresentação de um produto único, o que aumenta a percepção de valor. Dessa forma, as pessoas passam a considerar não apenas o preço, mas também a qualidade do que sua marca oferece.

Impacto do foco em uma estratégia competitiva

Consiste em atuar para se diferenciar por custo ou por produto diante de concorrentes específicos. Então, o objetivo é atrair clientes que decidem comprar de outras empresas apenas porque a sua não oferece alguns aspectos como a outra. 

Ter o foco como estratégia competitiva para empresas é importante para se diferenciar dos seus principais rivais. Com isso, ocorrerá a atração de um público menor, mas com grandes chances de se fidelizar, pois a sua marca atende ao que ele busca.

Por último, definir a estratégia competitiva da sua empresa é essencial para que ela seja bem-sucedida. Além disso, considere a análise das 5 forças de Porter em seu contexto de atuação.

Posição em relação as 5 forças de Porter

Após identificar quais são as 5 forças que influenciam o seu mercado de atuação, é necessário definir como lidar com elas. Nesse cenário, a definição de uma tática é essencial. Dessa maneira, pode-se escolher entre a diferenciação, custos ou o foco. Assim, a opção por uma ou por outra deve ser orientada pelos dados da sua pesquisa de mercado.

Um exemplo de definição de estratégia para redução de custos ocorre quando as empresas varejistas decidem lançar produtos próprios. Desse modo, elas fazem a integração para trás e:

  • Aproveitam as lojas já existentes para distribuir os produtos;
  • Reduz gastos em compras;
  • Diminuem o poder de negociação dos fornecedores.

Estudar as 5 forças de Porter, portanto, pode orientá-lo sobre qual é a melhor estratégia competitiva para se adotar no contexto da sua empresa. Então, definir uma posição é uma decisão que depende do conhecimento do microambiente em que atua.

Como se defender das forças competitivas?

A empresa pode seguir vários rumos como você viu. A escolha de uma das três estratégias competitivas depende do seu contexto, assim, algumas opções são:

  • Buscar a diferenciação;
  • Tornar-se um líder tecnológico;
  • Fazer uma integração;
  • Melhorar o relacionamento com os clientes.

A ferramenta para estratégia de Porter permite analisar qual seria a solução mais interessante do mercado em sua empresa. Além disso, ela deve ser usada também no seu planejamento de marketing. 

mulher de pé e, atrás dela, seus colegas estão em uma mesa discutindo coisas de trabalho
A partir das análises das 5 forças de Porter, a sua empresa pode definir uma posição no mercado em que atua. Imagem de fauxels em Pexels

Quais os principais exemplos em relação às 5 forças de Porter?

Essa ferramenta de análise pode ser usada por grandes e pequenas empresas. Afinal, todas elas sofrem influências das forças externas de seu mercado. Então, alguns exemplos em que a teoria das 5 forças de Porter foram relacionadas são:

  • Apple;
  • Coca-cola;
  • Ambev;
  • Nokia.

A Apple é uma grande empresa que sofre com a força de produtos substitutos durante toda a sua história. Afinal, há várias outras marcas que vendem celulares, tablets e notebooks. Ainda assim, o negócio fundado por Steve Jobs se mantém, mesmo com preços elevados em alguns países. A explicação para isso está na diferenciação de seus itens em relação aos concorrentes como privacidade, qualidade das câmeras e maior longevidade.

A Coca-cola é desafiada pelos concorrentes locais como Dolly Guaraná e Mineirinho no Brasil. Um exemplo oposto é o da Ambev, que não sofre tanto com a concorrência e tem uma grande distribuição. Assim, caso ela reduza os seus preços, os seus rivais precisarão fazer o mesmo, a fim de se manterem competitivos.

Por último, a Nokia foi uma das marcas mais importantes no setor de celulares. Aliás, os seus aparelhos eram conhecidos pela qualidade, resistência e durabilidade. Mas, uma das 5 forças de Porter, a de produtos substitutos, o iPhone da Apple foi um dos agentes que retirou os celulares Nokia do mercado por sua inovação.

Companhias aéreas usam as forças de Porter?

Da mesma forma que é possível notar no Brasil, não existem muitas companhias aéreas comparado ao número de lojas de roupas, por exemplo. São setores muito distintos, pois no primeiro há grande dificuldade de entrada, enquanto no outro as barreiras são poucas. Em síntese, as forças competitivas de Porter para esse setor permitem chegar a análise:

  • Alta rivalidade entre as companhias aéreas;
  • Fornecedores com alto poder de negociação;
  • Consumidores com alto poder de negociação;
  • Poucas ameaças de novos entrantes;
  • A força dos produtos substitutos é relativa.

Por haver um número reduzido de companhias aéreas, a tendência é que a rivalidade entre elas se acentue. Além disso, no setor de aviação, os fornecedores possuem um alto poder de negociação pelo mesmo motivo.

Os consumidores, por outro lado, têm maior poder de negociação porque muitas vezes escolhem as passagens mais baratas e não veem muita diferenciação. Ainda assim, não há tanta variação de preços, já que as opções de compra são limitadas.

Como é a força de produtos substitutos?

De modo geral, as pessoas optam por transportes alternativos como carros e ônibus para viagens curtas. Ainda que eles representem uma força influente para as companhias aéreas, em muitas situações não há outros concorrentes para elas. Por isso, o seu mercado é mais estável nesse sentido.

Agências de marketing digital

O modelo cinco forças de Porter também é aplicável ao mercado das agências de marketing digital. Hoje, são empresas que precisam se destacar bastante, a fim de crescer, isso porque há grande concorrência e seus produtos ou serviços não são tão distintos. Em síntese, a análise das forças é:

  • Alto poder de negociação com os fornecedores de serviços;
  • Baixo poder de negociação com os fornecedores de tecnologia;
  • Grande rivalidade entre as agências;
  • Alto volume de novos entrantes;
  • Consumidores com alto poder de negociação.

Os redatores, designers, social media e outros profissionais dessa área são numerosos, já que não há muitas barreiras de entrada para eles. Assim, as agências de marketing digital conseguem ter um alto poder de negociação com eles. Por outro lado, grandes empresas como o Google e o Facebook dominam os canais de venda mais usados. Desse modo, as agências não têm poder sobre as decisões delas.

Alto poder de negociação dos consumidores

Como também não há muitas barreiras para a criação de agências de marketing digital, elas são muitas. Então, isso influencia tanto a ameaça de substituição por uma delas quanto o poder de negociação dos consumidores, já que eles têm muitas opções. 

Use as 5 forças de Porter de forma estratégica no seu negócio

As 5 forças de Porter são essenciais para que uma empresa conheça o mercado em que atua e a sua influência sobre ele. A análise delas mostra que há vários outros fatores que influenciam no desempenho de um negócio, além de seus concorrentes diretos. Dessa maneira, em síntese, os principais motivos para aplicar essa ferramenta são:

  • Entender qual é a sua posição no mercado;
  • Identificar oportunidades de inovação;
  • Observar a sua concorrência;
  • Avaliar sua situação frente à outras forças, além dos rivais diretos;
  • Saber como se defender e lidar com as forças a seu favor.

Com isso, o seu planejamento estratégico de marketing e vendas pode ser mais assertivo e focar nos pontos que o seu negócio precisa. Além disso, é possível definir qual será a estratégia competitiva mais viável e favorável para a sua empresa no momento.

Para entender melhor como funcionam as 5 forças de Porter, é interessante pesquisar sobre os exemplos de grandes empresas. Aliás, buscar os negócios que atuam no mesmo setor que você pode ser uma boa opção.

Em resumo, essas cinco forças são uma ferramenta de análise estratégica muito importante para a sua empresa. Portanto, use o modelo para conhecer as oportunidades e ameaças do seu setor de atuação, a fim de usar isso a favor do seu negócio.

Usamos cookies para melhorar sua experiência neste site. Ao continuar no site, você concorda com essas condições. Sim Mais detalhes